Energias alternativas: investimentos devem evitar possível crise energética

Atraso na construção de hidrelétricas previstas pelo PAC e protecionismo do Ibama cita leis que devem ser reformuladas

SÃO PAULO – O Brasil deve enfrentar nova crise energética se não investir no setor de energia. É o que acredita o senador Edison Lobão (DEM-MA), que durante discurso no Plenário disse que o Brasil precisa caminhar rapidamente para energias alternativas se o país não quiser reviver crise energética.

O senador acusa o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de ser tolerante com o governo da Bolívia em negociações sobre importação do gás boliviano, matriz energética de muitas empresas brasileiras. E ressalta também o descontentamento do presidente com a imposição de restrições pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) que atrasaram o início da construção de usinas hidrelétricas.

PAC

Previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) as hidrelétricas devem demorar a ser construídas com justificativas do Ibama baseadas em leis, que de acordo com o senador devem ser modificadas.

PUBLICIDADE

“O Presidente da República tem o poder de enviar ao Congresso Nacional mensagens de projeto de lei ordinária ou complementar que devem ser votadas em sessenta dias, modificando leis que se tornam barreiras no desenvolvimento do país”.

O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RP) lamenta que o Ibama esteja exagerando em protecionismo, e que isto foge do objetivo do presidente junto ao PAC de acelerar o desenvolvimento e evitar uma possível crise energética no país.