Abimaq

Empresários farão protesto contra o governo Dilma no dia 13

Carlos Pastoriza diz que centrais sindicais serão bem-vindas a manifestação contra os aumentos de juros e impostos

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Três dias antes da manifestação que movimentos contrários à presidente Dilma Rousseff (PT) têm convocado haverá outro movimento na Avenida Paulista. Segundo informações do Estado de S. Paulo, empresários deverão sair às ruas no dia 13 de agosto, quinta-feira, contra os juros altos e os aumentos de impostos que o governo da presidente tem praticado desde o começo do seu segundo mandato. 

O presidente da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Carlos Pastoriza, está entre os organizadores do protesto. “Será o grito de alerta, o mesmo grito, a mesma pauta que levarei à presidente Dilma em reunião. É impossível conviver com esses juros tão elevados, não apenas a Selic, mas principalmente os juros bancários brasileiros, e com um ajuste fiscal que não corta gastos, apenas aumenta impostos”, disse Pastoriza.

O executivo disse que centrais sindicais como a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a Força Sindical serão bem-vindas na manifestação. “Teremos empresários e trabalhadores unidos para demonstrar nossa angústia. Será uma manifestação apartidária, mas será forte, com carros de som. O Brasil está matando seus empregos e sua indústria. É um grito de alerta, de quase desespero com a situação atual”, disse Pastoriza.

PUBLICIDADE

Mais de 50 mil trabalhadores foram demitidos das fábricas brasileiras nos últimos 24 meses, de acordo com a Abimaq. A CUT e a Força Sindical ainda não se pronunciaram sobre o convite.