AO VIVO Governo detalha como será pagamento de auxílio emergencial em coletiva; acompanhe

Governo detalha como será pagamento de auxílio emergencial em coletiva; acompanhe

Filho de Lula

Empresa de Lulinha recebeu R$ 103 milhões, aponta laudo da PF na Lava Jato

Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, cervejaria Petrópolis e empresas ligadas à Oi são as principais remetentes dos recursos

SÃO PAULO – Os principais financiadores da Gamecorp, empresa que pertence a um dos filhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, injetara ao menos R$ 103 milhões na companhia, segundo um laudo elaborado na Operação Lava Jato obtido pelo jornal Folha de S. Paulo. A cervejaria Petrópolis e empresas ligadas à Oi são os principais remetentes desses recursos. A Oi Móvel e a Telemar Internet, ligadas à empresa de telefonia, colocaram cerca de R$ 82 milhões na empresa, em valores não corrigidos.

Em 2005, a Oi já tinha investido R$ 5,2 milhões na Gamecorp. A Polícia Federal e o Ministério Público chegaram a investigar o aporte na época, mas arquivaram as apurações em 2012.

A Gamecorp está em nome de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, e dos sócios Kalil Bittar, Fernando Bittar e Leonardo Badra Eid. Segundo o jornal, o laudo não traz conclusões a respeito desses repasses e está anexado a um dos inquéritos sobre o ex-presidente na Lava Jato.  Entre os financiadores, também está o iG, Internet Group do Brasil, que foi da Oi até 2012. A Cervejaria Petrópolis, dona da Itaipava, investiu R$ 6 milhões na empresa de Lulinha.

PUBLICIDADE

A defesa de Lula afirma que a companhia de telefonia é acionista da Gamecorp e participa de sua administração. A Oi alega que contrata a Gamecorp para serviços de produção do canal que exibe a programação da Oi TV e os direitos de transmissão do canal Play TV. Já o grupo Petrópolis afirma que os pagamentos se referem a “serviços prestados para implantação de TV corporativa” da empresa e também veiculação de publicidade.