Emergentes

Em TV chinesa, Dilma destaca papel dos Brics para impulsionar economia mundial

"Um projeto como um banco não nasce pronto. Ele estava sendo gestado na barriga dos Brics, agora ele nascerá", afirmou

Aprenda a investir na bolsa

A presidente Dilma Rousseff afirmou que o momento mais importante da VI Cúpula do Brics é a concretização do novo banco de desenvolvimento e do acordo contingente de reservas. Além disso, ela destacou o papel de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul como impulsionadores da economia global. “É importante para o Brics também afirmar e se posicionar de uma forma clara com essas duas iniciativas porque elas empoderam o Brics e mostram que, de fato, continua sendo um mundo puxado pelo crescimento dos países em desenvolvimento”, disse Dilma em entrevista concedida à emissora de televisão chinesa CCTV.

Segundo Dilma, nas reuniões anteriores do bloco a discussão sobre o banco estava se desenvolvendo. “Um projeto como um banco não nasce pronto. Ele estava sendo gestado na barriga dos Brics, agora ele nascerá”, afirmou. “O novo banco dos Brics é uma resposta porque implica numa nova fonte de financiamento para aqueles países que acreditam que não é possível só fazer recessão, cortar empregos, acabar com os processos de inclusão social”, completou.

A presidente reforçou que, alguns meses atrás, parte da imprensa ocidental falava que os emergentes não iam ter um papel de destaque no desenvolvimento global. “Mostrou-se inverídica essa avaliação”, reforçou. “O mundo passou por uma crise fortíssima a partir de 2008. Os países do Brics só foram ser atingidos quase três a quatro anos depois, mas foram atingidos. Todos nós desaceleramos a nossa taxa de crescimento”, ponderou.

Aprenda a investir na bolsa

Dilma destacou a importância da parceria entre Brasil e China e disse que há uma “excelente relação” entre os dois países. “Consideramos que a maturidade da relação entre o Brasil e a China vai conduzir para um aumento da produção do Brasil para a China de manufaturados, e também da China para o Brasil”, afirmou, ressaltando que atualmente o Brasil já é um importante fornecedor de alimentos e de proteína para a China.

A presidente disse que o Brasil tem muito interesse em usar o know-how chinês para ampliar os investimentos em ferrovias no País. “Nós temos o maior interesse nessa questão das ferrovias”, afirmou. “Há uma expertise (da China) nessa área, há um know-how nessa área e nós queremos que a China participe conosco.”

Durante a parte final da entrevista, Dilma fez referência às manifestações do Brasil e afirmou que hoje os brasileiros têm novas demandas. “Quando você dá um passo além do mínimo para viver, você passa a querer o máximo para desfrutar. O nosso sonho é esse, transformar o Brasil num país em que todos os brasileiros tenham o máximo para desfrutar”, disse.