Resposta a manifesto

Em resposta a pedidos de renúncia, juristas lançam manifesto pró-Dilma em SP

Políticos e catedráticos de outras instituições e políticos assinaram o manifesto em resposta a outro manifesto que pedia renúncia de Dilma: "respeitar o voto é respeitar a soberania popular, fundamento último da democracia brasileira"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Se na segunda-feira (10), foi divulgado um manifesto pedindo a renúncia da presidente Dilma Rousseff, durante um evento de ex-alunos da Faculdade de Direito da USP, um outro grupo de juristas e advogados fizeram um manifesto pró-Dilma, a “favor da legalidade”.

O manifesto foi subscrito por cerca de 800 pessoas, sendo encabeçado pelo professor aposentado da Faculdade de Direito da USP Fábio Konder Comparato e por Sérgio Salomão, professor titular da Faculdade do Largo São Francisco, conforme informa o jornal O Estado de S. Paulo.

Políticos e catedráticos de outras instituições e políticos também assinaram o manifesto, que defende que as instituições sejam respeitadas. “Respeitar o voto é respeitar a soberania popular, fundamento último da democracia brasileira”, afirma. 

PUBLICIDADE

O manifesto afirma que tentar tirar a presidente de seu cargo “sem quaisquer elementos jurídicos” é um “desrespeito inegável” a ordem vigente e a soberania das urnas”. Dentre alguns nomes que assinam o texto estão Pedro Abramovay, ex-secretário Nacional de Justiça, Pierpaolo Cruz Bottini, professor da Faculdade de Direito da USP e José Geraldo de Souza Júnior, ex-reitor da Universidade de Brasília. Além destes, os deputados Alessandro Molon (RJ) e Paulo Teixeira (SP), também aparecem na lista.

 De acordo com Fábio Konder Comparato, o manifesto é um contraponto fundamental àquele que pede a renúncia imediata de Dilma. “Aquilo foi incompreensível”, disse ele ao Estadão.