AO VIVO Sócio da Arko e analista da XP avaliam o último debate entre Trump e Biden antes da eleição nos EUA

Sócio da Arko e analista da XP avaliam o último debate entre Trump e Biden antes da eleição nos EUA

Solto

Em prisão domiciliar, Geddel não será monitorado por falta de tornozeleira eletrônica

Superintendência da Bahia afirmou em nota que "não dispõe de sistema de monitoramento eletrônico de pessoas"

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Liberado na última quinta-feira (13) para cumprir prisão domiciliar, o ex-ministro Geddel Vieira Lima não irá usar tornozeleira eletrônica por enquanto. A Polícia Federal informou, em nota, que a Superintendência da Bahia “não dispõe de sistema de monitoramento eletrônico de pessoas”. Com isso, a prisão domiciliar de Geddel não poderá ser monitorada pela Justiça.

Na véspera, o TRF1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) já havia liberado o ex-ministro sem a tornozeleira – que também está em falta no Distrito Federal – e afirmou que ficava postergada a utilização do equipamento “para o momento do recolhimento na sua residência, em Salvador”.

A nota da PF ainda explica que o equipamento é de atribuição do sistema prisional federal ou do estado. No entanto, o órgão afirma a impossibilidade de cumprir a decisão da 10ª Vara Federal, em Brasília, que determina que, no prazo de 48 horas, a Superintendência da PF forneça a tornozeleira para uso de Geddel.

Aprenda a investir na bolsa

A SEAP (Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização) da Bahia afirma que fez duas licitações para a compra do equipamento: a primeira, para aquisição de 300 tornozeleiras, “já em fase final de homologação”, com previsão de entrega para o próximo mês. A segunda licitação prevê a compra de 3.200 equipamentos de monitoramento eletrônico de pessoas.