Contra o governo

Em nova cartada por impeachment, MBL lança “Placar Fora Dilma” no Congresso; tucanos apoiam

Em texto que acompanha o vídeo postado, o movimento convoca seus seguidores a aumentar a pressão sobre os parlamentares por uma posição mais favorável às suas demandas

SÃO PAULO – Depois de organizar uma marcha de São Paulo para Brasília com o intuito de, sem sucesso, derrubar do poder a presidente da República Dilma Rousseff, o Movimento Brasil Livre iniciou uma nova ofensiva contra o governo na noite da última quarta-feira (17). Trata-se do “Placar Fora Dilma“: uma ferramenta, similar a um painel de votações em plenário, que apresentará a posição de todos os parlamentares brasileiros sobre o afastamento da atual presidente.

Marcando a inauguração, o movimento liderado pelos jovens Kim Kataguiri e Fernando Holiday foi atrás de lideranças do PSDB em busca de apoio. Em vídeo divulgado na página oficial do MBL no Facebook, os deputados Nilson Leitão (MT), Carlos Sampaio (SP) e Bruno Araújo (PE), respectivamente primeiro vice-líder do PSDB, líder do partido, e líder da oposição na Câmara, manifestaram apoio ao movimento.

“Parabéns pela iniciativa! Toda a forma democrática de nós interagirmos com a sociedade e sabermos qual é a posição de cada parlamentar sobre temas que interessam a população é uma forma nobre da política. Contem conosco”, afirmou Araújo. No mesmo sentido, Leitão complementa dizendo que o país vive seu pior momento em termos éticos e morais na história, em um “empobrecimento da política”.

PUBLICIDADE

Em tom mais enfático, o líder do partido Carlos Sampaio, deixou explícita sua percepção de que “o melhor para o Brasil hoje é tirar Dilma do poder”. Na visão do parlamentar é hora de o eleitor se mobilizar e cobrar de seu deputado uma posição “em defesa do País”. Com as declarações do trio, o MBL contabilizou todos os 53 votos tucanos como favoráveis aos impeachment presidencial, inclusive eventuais divergências (apesar de não tão prováveis nesse tema) sobre a base do partido. Dois deputados do PP e um do PMDB também votaram a favor (confira lista completa ao final da matéria).

Em texto que acompanha o vídeo postado, o movimento convoca seus seguidores a aumentar a pressão sobre os parlamentares por uma posição mais favorável às suas demandas. “Ainda faltam 460 deputados se posicionarem, mas já estamos mais próximos da concretização do impeachment. Para que a maioria qualificada de 2/3 da Câmara seja atingida, falta a confirmação de 290 deputados”, escreveram representantes do MBL.

Veja como se manifestaram os deputados, até o momento, ouvidos pelo MBL segundo o movimento:

Alberto Fraga (DEM-DF): SIM

Alexandre Baldy (PSDB-GO): SIM

Alfredo Kaefer (PSDB-PR): SIM

PUBLICIDADE

Antonio Imbassahy (PSDB-BA): SIM

Artur Bisneto (PSDB-AM): SIM

Betinho (PSDB-PE): SIM

Bonifácio Andrada (PSDB-MG): SIM

Bruna Furlan (PSDB-SP): SIM

Bruno Araújo (PSDB-PE): SIM

Bruno Covas (PSDB-SP): SIM

Caio Narcio (PSDB-MG): SIM

Carlos Sampaio (PSDB-SP): SIM

Célio Silveira (PSDB-GO) SIM

Daniel Coelho (PSDB-PE): SIM

Delegado Waldir (PSDB-GO): SIM

Domingos Sávio (PSDB-MG): SIM

Eduardo Barbosa (PSDB-MG): SIM

Eduardo Bolsonaro (PSC-SP): SIM

Eduardo Cury (PSDB-SP): SIM

Fábio Sousa (PSDB-GO): SIM

Felipe Maia (DEM-RN): SIM

Geovania de Sá (PSDB-SC): SIM

Giuseppe Vecci (PSDB-GO): SIM

Izalci (PSDB-DF): SIM

Jair Bolsonaro (PP-RJ): SIM

João Campos (PSDB-GO): SIM

João Castelo (PSDB-MA): SIM

João Gualberto (PSDB-BA): SIM

João Paulo Papa (PSDB-SP): SIM

Jutahy Junior (PSDB-BA): SIM

Lobbe Neto (PSDB-SP): SIM

Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR): SIM

Major Olimpio Gomes (PDT-SP): SIM

Major Rocha (PSDB-AC): SIM

Mara Gabrilli (PSDB-SP): SIM

Marco Tebaldi (PSDB-SC): SIM

Marcus Pestana (PSDB-MG): SIM

Mariana Carvalho (PSDB-RO): SIM

Max Filho (PSDB-ES): SIM

Mendes Thame (PSDB-SP): SIM

Mendonça Filho (DEM-PE): SIM

Miguel Haddad (PSDB-SP): SIM

Nelson Marchezan Júnior (PSDB-RS): SIM

Nilson Leitão (PSDB-MT): SIM

Nilson Pinto (PSDB-PA): SIM

Odelmo Leão (PP-MG): SIM

Otavio Leite (PSDB-RJ): SIM

Pastor Marco Feliciano (PSC-SP): SIM

Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG): SIM

Pedro Cunha Lima (PSDB-PB): SIM

Pedro Vilela (PSDB-AL): SIM

Perondi (PMDB-RS): SIM

Raimundo Matos (PSDB-CE): SIM

Ricardo Tripoli (PSDB-SP): SIM

Rodrigo de Castro (PSDB-MG): SIM

Rogerio Marinho (PSDB-RN): SIM

Samuel Moreira (PSDB-SP): SIM

Shéridan (PSDB-RR): SIM

Silvio Torres (PSDB-SP): SIM

Valdir Rossoni (PSDB-PR): SIM

Vanderlei Macris (PSDB-SP): SIM

Vitor Lippi (PSDB-SP): SIM

O movimento ainda não destacou posicionamentos contrários de parlamentares ao projeto no site.