Pelo Facebook

“Em momento algum, manifestei como será meu voto”, diz senador sobre possível voto pró-Dilma

Acir Gurgacz afirmou ainda que não passou procuração para o presidente do PDT ou para qualquer outra pessoa falar em seu nome - Carlos Lupi afirmou que o senador votará contra o impeachment

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em postagem do início da tarde desta terça-feira (31) no Facebook, o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) negou que tenha manifestado em algum momento como será o seu voto na fase do julgamento do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em matéria de hoje, o jornal O Globo afirmou que ele e Romário (PSB-RJ) estariam considerando mudar de voto – de a favor do impeachment para contra o impeachment. 

Ao jornal, o presidente do PDT Carlos Lupi afirmou que Gurgacz teria assegurado  que mudará a sua posição e votará contra o impeachment desta vez. Por conta disso, o Diretório Nacional do PDT adiou a decisão sobre uma punição disciplinar aos senadores do partido. Ao ser procurado pela própria publicação, o senador afirmou que o “mérito é outro momento, estamos avaliando. Entendo que não há crime de responsabilidade fiscal por causa das pedaladas (fiscais), mas a questão é mais pela governabilidade, pelo interesse nacional”. 

Pelo Facebook, Gurgacz afirmou que não passou procuração “para o presidente do PDT ou para qualquer outra pessoa falar em meu nome. Notícias de que mudei meu voto são conjecturas mal intencionadas de políticos e da imprensa que tentam enganar e confundir a população”.

Aprenda a investir na bolsa

Confira a nota na íntegra:

NOTA SOBRE VOTAÇÃO NO IMPEACHMENT

Como todos sabem, votei pela admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado Federal. Porém, em momento algum, manifestei como será meu voto na fase de julgamento.

Além disso, não passei procuração para o presidente do PDT ou para qualquer outra pessoa falar em meu nome. Notícias de que mudei meu voto são conjecturas mal intencionadas de políticos e da imprensa que tentam enganar e confundir a população.

Como sempre, votarei com a minha consciência e tendo como referência a vontade da maioria da população de Rondônia e do Brasil, como já fiz na fase de admissibilidade do processo.