Voltando atrás

Em meio a repercussão negativa, Lula pode se desfazer de triplex no Guarujá, diz Folha

Ao disputar a reeleição em 2006, Lula informou à Justiça Eleitoral ter pago à Bancoop R$ 47,7 mil pelo apartamento do Guarujá; corretores locais dizem que o imóvel tem o valor de R$ 1,5 milhão

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – De acordo com informações da Folha de S. Paulo, em meio às polêmicas sobre a compra de um triplex no Guarujá (litoral de São Paulo),  o ex-presidente Lula e a ex-primeira-dama Marisa Letícia devem se desfazer do imóvel, situado na praia das Astúrias.

Segundo o jornal, a motivação para a saída do empreendimento foi a repercussão negativa do caso. 

O imóvel está em nome da construtora OAS, responsável pela conclusão da obra em 2013. O ex-presidente tem a opção de pedir ressarcimento dos valores pagos à cooperativa ou pode ficar com ele e registrá-lo em seu nome. Segundo a assessoria do instituto, “não há informações sobre prazos” para que Marisa e o ex-presidente façam essa escolha. 

PUBLICIDADE

A repercussão sobre o triplex começou após uma matéria do jornal O Globo, que destacou que a compra do imóvel foi realizada através da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo), ainda na planta, em 2006. “Acusada de irregularidades e em crise financeira, a Bancoop deixou três mil famílias sem receber os sonhados apartamentos”, destacava a reportagem. 

Ao disputar a reeleição em 2006, Lula informou à Justiça Eleitoral ter pago à Bancoop R$ 47,7 mil pelo apartamento do Guarujá. Os corretores locais dizem que o imóvel tem o valor de R$ 1,5 milhão. O apartamento de Lula fica no 16º andar e tem área de 297 metros quadrados.