Em discurso em NY, Dilma Rousseff mostra otimismo com investimentos no Brasil

Investimentos não deverão perder forças, para a ministra-chefe da Casa Civil, que prevê US$ 488 bilhões do PAC até 2012

SÃO PAULO – Apesar das previsões de um PIB (Produto Interno Bruto) reduzido para 2009, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou durante seminário para investidores realizado nesta segunda-feira (16) em Nova York, que a previsão de investimentos no Brasil não diminuiu por causa da crise econômica internacional.

Segundo Dilma, que comanda o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) junto ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os planos para infraestrutura urbana e logística não foram afetados significativamente. Entre 2007 e 2010, estão estimados investimentos do PAC da ordem de US$ 275 bilhões. Nos dois anos seguintes, estão previstos US$ 213 bilhões, chegando ao total de US$ 488 bilhões.

Em sua apresentação, a ministra ainda detalhou como são os projetos e as oportunidades de investimentos nos setores de petróleo, energia, saneamento, habitação, telecomunicações, petroquímicas, ferrovias e portos.

Otimismo, apesar da crise

PUBLICIDADE

Mesmo sem tanta covicção como antes, Dilma Rousseff ainda mantém sua posição otimista em relação à crise: “Produto, renda e emprego em crescimento, estabilidade macroeconômica e política de distribuição de renda e investimento nos permitem ver a crise como oportunidade. (…) Achamos que não vai haver recessão”.