Ação PN sobe 3,5%

Em dia decisivo, o que esperar da Petrobras? Corretora lista 3 cenários possíveis

Mercado aguarda ansiosamente o anúncio em relação a um reajuste de preços ainda este ano para estatal e leva ações para primeira alta depois de quatro dias de quedas

SÃO PAULO – O mercado aguarda ansiosamente o anúncio em relação a um reajuste de preços ainda este ano para a Petrobras (PETR3; PETR4). A expectativa é que seja confirmado após a reunião do conselho de administração, iniciada às 10h (horário de Brasília) desta sexta-feira (29), quando será decidido sobre a fórmula de reajuste automático dos combustíveis, como forma de amenizar as perdas que a companhia sofre com a venda de diesel e gasolina. As ações ordinárias da estatal registravam às 14h41 (horário de Brasília) desta pregão valorização de 4,74%, sendo cotadas a R$ 18,57, enquanto as preferenciais avançavam 3,27%, a R$ 19,27. Essa é a primeira alta depois de quatro quedas consecutivas. 

Para a equipe de análise da XP Investimentos, o reajuste será na casa de 5% para gasolina e 10% para o diesel – em linha com o consenso do mercado. Nas refinarias, seria um pouco maior, 8,3% e 10% para gasolina. Um reajuste dessa magnitude da gasolina teria um impacto de 3,8% no IPCA, enquanto o diesel não teria peso relevante. Segundo projeções da LCA, isso refletiria em uma alta de 0,75% para o IPCA em dezembro, que já contemplaria boa parte desse reajuste.

Já em relação à metodologia de preços, a XP não espera que seja anunciada hoje na reunião do conselho, devendo ficar para 2014, evitando a “polêmica da indexação” de preços de gasolina e diesel. Segundo coluna da Claudia Safatle, do Valor, a reunião da metodologia de ajuste automático de preços poderia ficar para depois das eleições, ou seja, nesse caso, não mudaria a tese de investimentos da companhia. 

PUBLICIDADE

Diante do dia agitada, a XP lista três cenários possíveis para a Petrobras e como devem reagir as ações. Veja abaixo:

CenárioReação das ações
1°)Reajuste de preços: o governo anuncia um reajuste de preços, mas sem metodologia (só em 2014)As ações poderiam reagir com leve alta, pois o mercado já aguarda um reajuste para este ano
2°)Nenhum reajuste de preços e metodologia para 2014Ação pode ir abaixo de R$ 18, no pior cenário
3°)Reajuste de preços e anúncio de metodologiaMenos provável; para a XP, praticamente descartável esse cenário

A corretora opta por trabalhar com os dois primeiros cenários. Para os analistas, o reajuste deve sair, porém, alguns investidores acreditam que o governo prefere esperar a divulgação do IPCA, no dia 6 de dezembro, para saber se “pode” dar um reajuste de preços e quanto seria esse reajuste.

Em suma, a XP mantém um cenário de ceticismo em relação às ações da Petrobras, apesar de ainda trabalhar com uma probabilidade maior de que o reajuste seja anunciado hoje.