Congresso do PT

Em Congresso, Dilma diz que não mudou de lado; para Lula, “PT está machucado, mas vivo”

Vale lembrar que o Congresso do PT foi cercado de polêmicas, com discussões entre os petistas e líder do Revoltados Online

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em meio à divisão do PT sobre quais serão os próximos passos a serem seguidos, a presidente Dilma Rousseff defendeu o ajuste fiscal, mas afirmou que “não mudou de lado” ao fazer a política de austeridade, enquanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reconheceu que o partido cometeu erros e precisa discuti-los, mas destacou que o partido “continua vivo”. 

Dilma afirmou: “nós somos um governo que tem a coragem de realizar ajustes e que faz estes ajustes para dar sustentabilidade, perenidade, continuidade e fazer avançar o projeto de desenvolvimento, o projeto de mudança, que nós adotamos desde 2003”. 

E continuou: “nós não mudamos de lado. Nós não alteramos os compromissos que temos com o Brasil e que o PT defende desde que nós chegamos ao governo federal com o presidente Lula”. De acordo com ela, o PT precisa entender que o ajuste é um “movimento tático” para um objetivo maior que é seguir nas mudanças iniciadas no governo de seu antecessor. 

PUBLICIDADE

A presidente ainda pediu para que os militantes defendam o governo: “queridos militantes petistas, não se deixem abater por discursos e comportamentos intolerantes nós sabemos como eles são hoje produto de uma intolerância de uma minoria. Não se submetam aos que torcem pelo nosso fracasso, do partido e do governo. Municie-se de informações, argumentos e desmintam a informação de que o país está  preso em uma armadilha e numa paralisia. Por exemplo, falem da Petrobras. A Petrobras reorganizada, capaz de punir aqueles que dela se beneficiaram ilicitamente. Mas falem com orgulho da Petrobras”.

Já Lula destacou que o partido “está vivo”, apesar das “tentativas de decretar a morte do PT”. “Há dez anos que os jornalistas decretam a morte do PT. O PT continua vivo e muito preparado para novos debates, novos combates. Machucado sim, mas bem vivo. Enfrentando a mais sórdida campanha de difamação que um partido político já enfrentou neste país”, afirmou.

E disse que o partido precisa aprender a ouvir o recado do povo: “o povo está dizendo que o país não pode deixar de crescer e incluir e que não se acomodem no governo, não nos decepcione, faça aquilo que nós acreditamos”.

O Congresso do PT foi cercado por polêmicas. Ontem, o líder do Revoltados Online, movimento que pede o impeachment de Dilma, Marcelo Reis, foi cercado por centenas de petistas ao aparecer no lobby do hotel em que aconteceu o evento.

Os militantes consideram uma provocação Reis se hospedar no hotel e ficar circulando com uma camiseta com a palavra impeachment estampada. Reis ficou acuado e pressionado pela multidão contra uma divisória de vidro.