AO VIVO Por que vale a pena investir no exterior – e como fazer isso? Assista pelo perfil do InfoMoney no Instagram

Por que vale a pena investir no exterior – e como fazer isso? Assista pelo perfil do InfoMoney no Instagram

Eleitores levam mais em conta o candidato que o partido na hora de votar

Segundo pesquisa, para 45% dos eleitores, o que mais pesa é o candidato. Já para 15%, o partido político interfere na decisão

SÃO PAULO – Na hora de votar, os brasileiros levam mais em conta o candidato do que o partido. Segundo a pesquisa “Desvendando o Eleitor Brasileiro”, realizada pela empresa de opinião República, para 45% dos eleitores, o que mais pesa na hora de votar é a figura pessoal do político.

Já para 15% dos participantes da pesquisa, o partido político interfere na decisão, enquanto 37% afirmaram que tanto o partido quanto o candidato são importantes na hora de votar.

“O brasileiro ainda vota de maneira personalista, ou seja, o partido político importa pouco na hora de decidir quem escolher como representante”, afirmou o cientista político Rodrigo Mendes Ribeiro.

PUBLICIDADE

Regiões
O estudo ainda aponta que, na região Sul, 58% dos eleitores consideram que o candidato pesa mais na hora de votar, enquanto no Sudeste, tanto o partido quando o político são importantes na hora da decisão (42%).

O Nordeste fica em primeiro lugar, quando se trata de decidir o voto em razão do partido político, opinião que atinge 20%.

Idade e gênero
Entre as mulheres, 40% levam em conta tanto o partido quanto o candidato na hora de escolher em quem votar, enquanto esse percentual cai para 34% entre os homens.

Levando em conta a faixa etária, o partido político tem mais importância para os jovens com 18 a 25 anos e os mais velhos com idade entre 65 e 70 anos.

Interesse
Ainda de acordo com a pesquisa, 68% dos eleitores têm pouco ou nenhum interesse por política, enquanto 29% têm algum ou muito interesse. 
Das mulheres, 44% afirmaram não ter nenhum interesse em política, enquanto entre os homens esse índice cai para 29%. 

Quando se trata de região, a resposta pouco ou nenhum interesse foi maior na região Norte, enquanto o percentual daqueles que têm algum ou muito interesse foi maior na região Sudeste.

PUBLICIDADE

Os mais jovens (18 a 24 anos) são os mais desinteressados em política, sendo que 74% afirmaram ter nenhum ou pouco interesse. Quando o quesito é escolaridade, segundo a pesquisa, quanto mais avançada, maior o interesse. Entre aqueles com curso superior completo, 45% têm algum ou muito interesse por política.

“De modo geral, os mais interessados são os moradores do Sudeste e Centro-Oeste, homens, com mais de 30 anos, curso superior completo e membros da classe A. Já os mais desinteressados pela política são os moradores do Norte e Nordeste, jovens, escolaridade baixa e membros da classe D e E”, disse o cientista político.