Votação

Eleições 2020: veja os resultados em todas as capitais brasileiras

Ao todo, 5.569 cidades participaram do pleito deste ano

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O primeiro turno das eleições municipais de 2020 terminou hoje (15). Ao todo, 5.568 cidades ou já definiram seus prefeitos, vice-prefeitos e vereadores ou escolherão os incumbentes para o Poder Executivo em um segundo turno, a ser realizado daqui a duas semanas – no caso das 95 cidades com mais de 200 mil eleitores se nenhum candidato tiver conquistado mais da metade dos votos válidos (ou seja, excluindo os brancos e nulos).

O InfoMoney coletou os resultados apurados nas capitais brasileiras. Apenas Brasília (DF) e Macapá (AP) não tiveram eleições hoje. A capital federal não tem prefeitos ou vereadores, enquanto a capital amapaense passa por problemas com fornecimento de energia elétrica e teve o pleito adiado.

Confira abaixo os resultados das eleições municipais de 2020 em todas as capitais brasileiras:

Aracaju (SE)

População estimada: 664.908 habitantes
Eleitorado: 404.901 eleitores

Aracaju terá segundo turno. A disputa será entre Edvaldo (PDT), que teve 45,57% dos votos válidos, e Delegada Danielle (Cidadania), com 21,31%.

Edvaldo é candidato da coligação Pela Vida, pela Cidade. Ela reúne os partidos PCdoB, PSD, PDT, MDB, PV, PP, PSC, Solidariedade e Republicanos.

Já Delegada Danielle é servidora pública estadual e candidata pela coligação Compromisso, Esperança e Verdade. A coligação reúne os partidos Cidadania, PSB, PL e PSDB.

Belém (PA)

População estimada: 1.499.641 habitantes
Eleitorado: 1.009.731 eleitores

O deputado federal Edmilson Rodrigues (PSOL) seguiu para o segundo turno, com 34,22% dos votos válidos. Seu adversário será o Delegado Federal Eguchi (Patriota), que teve 23,06% dos votos.

Ex-prefeito, Rodrigues conseguiu construir uma coligação com outros cinco partidos (PT, Rede, UP, PCdoB e PDT) em uma ampla e rara composição da esquerda nestas eleições municipais.

A surpresa no município foi o desempenho de Eguchi, que aparecia significativamente atrás do deputado federal Priante (MDB), candidato do atual governador do estado, Helder Barbalho (MDB), e que havia construído uma coligação com outras seus siglas. O emedebista acabou a disputa com 17,03% dos votos.

Belo Horizonte (MG)

População estimada: 2.521.564 habitantes
Eleitorado: 1.943.184 eleitores

O prefeito Alexandre Kalil (PSD) confirmou o amplo favoritismo apontado pelas pesquisas e foi reeleito para comandar a capital mineira pelos próximos quatro anos, com 63,36% dos votos válidos. Na sequência apareceram Bruno Engler (PRTB), candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com 9,95%, João Vítor Xavier, 9,22%, e Áurea Carolina (PSOL), 8,33%.

De outsider no último pleito, Kalil passou a ser conhecido como um articulador político habilidoso. Em sua candidatura à reeleição, formou uma rede de apoio envolvendo outros sete partidos: MDB, DC, PP, PV, Rede, Avante e PDT.

Boa Vista (RR)

População estimada: 419.652 habitantes
Eleitorado: 217.477 eleitores

A capital de Roraima terá segundo turno. A disputa ficou entre Arthur Henrique (MDB) e Ottaci Nascimento (Solidariedade). Os candidatos obtiveram, respectivamente, 49,64% (78.425) e 10,59% (16.735) dos votos válidos.

Henrique é o vice-prefeito da capital e tem como vice Cássio Gomes, também do MDB. Já Nascimento é deputado federal. Sua vice é Lenir Rodrigues, deputada estadual também pelo Solidariedade.

Campo Grande (MS)

População estimada: 906.092 habitantes
Eleitorado: 612.487 eleitores

O chapa formada pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD) e a vice-prefeita Adriane Lopes (Patriota) foi reeleita em primeiro turno. Com a totalidade das urnas apuradas, eles receberam 218.418 mil votos, o que corresponde a 52,58% dos votos válidos. Na segunda colocação ficou o candidato Promotor Harfouche (Avante), que obteve 48.094 mil votos, o equivalente a 11,58%.

Curitiba (PR)

População estimada: 1.948.626 habitantes
Eleitorado: 1.349.888 eleitores

O atual prefeito Rafael Greca (DEM) foi reeleito na capital paranaense, com 59,74% dos votos válidos. O democrata construiu um arco de alianças com outras nove siglas (PSD, PP, PSB, PTB, PSC, PMN, PRTB, Cidadania e Republicanos), demovendo potenciais adversários de participar do pleito, e liderou com folga durante toda a disputa.

Na sequência, apareceram os deputados estaduais Goura Nataraj (PDT), 13,26%, e Fernando Francischini (PSL), 6,26%. A eleição na capital paranaense foi marcada por uma explosiva oferta de candidatos: 16. Será a terceira vez em que Greca comandará a prefeitura da capital paranaense. Ele já ocupou o cargo entre 1993 e 1996.

Cuiabá (MT)

População estimada: 618.124 habitantes
Eleitorado: 378.097 eleitores

Haverá segundo turno entre Abílio (Podemos) e Emanuel Pinheiro (MDB). Os candidatos obtiveram, respectivamente, 33,72% (90.631) e 30,64% (82.367) dos votos válidos. Foram 9.881 votos em branco (3,35%) e 16.169 nulos (5,48%). Houve ainda 83.236 abstenções (22,01%).

Pesquisas já indicavam que a disputa iria para o segundo turno. Abílio é vereador em Cuiabá e faz parte da coligação Cuiabá para Pessoas, feita pelos partidos PSC, Cidadania e Pode). Abílio teve seu mandato como vereador cassado em março deste ano. O motivo foi quebra de decoro parlamentar. Em maio, a Justiça anulou a cassação e ele pôde retornar ao cargo e participar da atuação eleição.

Já Pinheiro é o atual prefeito da capital do Mato Grosso e tenta a reeleição. Esta é a terceira vez que ele participa da disputa pela prefeitura. Ele lidera a coligação A Mudança Merece Continuar, feita pelos partidos PMB, PTC, Solidariedade, PV, Republicanos, PL, PSDB, MDB, PTB, PP e PCdoB.

Florianópolis (SC)

População estimada: 508.826 habitantes
Eleitorado: 357.049 eleitores

O atual prefeito Gean Loureiro (DEM) foi reeleito com 53,46% dos votos, confirmando o favoritismo apontado pelas pesquisas.

O bom desempenho ocorreu mesmo em meio às denúncias de uma ex-assessora, que o acusou de assédio sexual. O democrata reconheceu imagens que circularam nas redes sociais, mas disse que as relações foram consentidas.

A segunda posição no pleito foi ocupada pelo candidato Professor Elson (PSOL), com 18,13%, seguido por Pedrão (PL), com 14,21%.

Fortaleza (CE)

População estimada: 2.686.612 habitantes
Eleitorado: 1.821.382 eleitores

Na capital cearense, haverá segundo turno. Candidato apoiado pelos irmãos Ciro e Cid Gomes, o atual presidente da assembleia legislativa estadual José Sarto (PDT) obteve 35,72% dos votos, e enfrentará o deputado federal Capitão Wagner (Pros), que recebeu 33,32% dos votos. Na terceira posição ficou a candidata Luiziane Lins (PT).

Goiânia (GO)

População estimada: 1.536.097 habitantes
Eleitorado: 971.221 eleitores

Na capital goiana, os candidatos Maguito Vilela (MDB) e Vanderlan Cardoso (PSD) vão disputar o segundo turno. Com 100% das urnas apuradas, Maguito recebeu 217.194 votos, o que representa 36,02% dos votos válidos. Já Vanderlan teve 148.739 votos, totalizando 24,67%. Neste domingo, Maguito, que está internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, para tratamento da covid-19, voltou a ser intubado.

João Pessoa (PB)

População estimada: 12.325.232 habitantes
Eleitorado: 8.986.687 eleitores

Na capital paraibana, haverá segundo turno entre Cicero Lucena (PP), com 20,72% (75.610) dos votos, e Nilvan Ferreira (MDB), com 16,61% (60.615). Lucena participa da coligação Pra Cuidar de João Pessoa, feita pelos partidos PP, PTB, Republicanos, PTC, PMN, Avante, PRTB, Cidadania e PMB. Ele já foi vice-governador, governador, senador e prefeito de João Pessoa. Já Ferreira é candidato pela primeira vez. As pesquisas eleitorais já indicavam que os dois candidatos disputariam o segundo turno na capital da Paraíba.

Maceió (AL)

População estimada: 817.511 habitantes
Eleitorado: 522.269 eleitores

Os candidatos Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB) e João Henrique Holanda Caldas (PSB) disputarão o segundo turno à prefeitura de Maceió. O emedebista, que obteve 28,87% votos, concorre ao cargo por meio da coligação Maceió Mais, com os partidos PL, AVANTE, PRTB, PSC, PTC, PV, PSD e PODE. Já o pessebista JHC, com 28,56%, disputa pela coligação Aliança com o Povo, formada por PDT e PSDB.

Manaus (AM)

População estimada: 2.219.580 habitantes
Eleitorado: 1.331.613 eleitores

A capital do Amazonas terá segundo turno. O experiente ex-governador Amazonino Mendes (Podemos) disputará com o candidato David Almeida (Avante) a prefeitura no próximo dia 29. O primeiro teve 23,91% dos votos válidos, contra 22,36% do segundo.

Natal (RN)

População estimada: 890.480 habitantes
Eleitorado: 560.929 eleitores

O prefeito Álvaro Dias (PSDB) foi reeleito no primeiro turno, com 56,58% dos votos válidos.

Ele havia assumido o comando do Executivo local dois anos atrás, quando Carlos Eduardo (PDT) renunciou ao cargo para disputar a eleição para o governo do Rio Grande do Norte e acabou derrotado por Fátima Bezerra (PT).

Em segundo lugar neste primeiro turno ficou o senador Jean (PT), com 14,38%.

Palmas (TO)

População estimada: 306.296 habitantes
Eleitorado: 180.524 eleitores

Cinthia Ribeiro (PSDB) foi a candidata mais votada na eleição em Palmas, com 36,24% dos votos, e está eleita. Por ter menos de 200 mil eleitores, a capital do Tocantins não se enquadra nos critérios que permitem segundo turno.

Porto Alegre (RS)

População estimada: 1.488.252 habitantes
Eleitorado: 1.082.726 eleitores

Os candidatos Sebastião Melo (MDB) e Manuela D’Ávila (PCdoB) vão decidir as eleições para a prefeitura da capital gaúcha no segundo turno. O ex-vice-prefeito obteve 200.280 votos – o que corresponde a 31,01%. Já a ex-deputada recebeu 187.262 votos (29,00%).

Vice na chapa encabeçada por Fernando Haddad (PT) na corrida presidencial de 2018, Manuela D’Ávila liderava a disputa pela capital gaúcha em uma composição com o ex-ministro Miguel Rossetto (PT) na vice. O movimento representa importante aproximação entre os aliados históricos PT e PC do B, em uma eleição municipal em que os petistas buscaram fugir do papel de coadjuvantes.

Mas, com a saída do ex-prefeito José Fortunati (PTB), Sebastião Melo cresceu no pleito com o apoio do petebista.

Porto Velho (RO)

População estimada: 539.354 habitantes
Eleitorado: 333.031 eleitores

O atual prefeito da capital de Rondônia, Hildon Chaves (PSDB), teve 34,01% dos votos apurados e disputará o segundo turno com a candidata Cristiane Lopes (PP), que recebeu 14,32% dos votos.

O tucano é o candidato da coligação “O Trabalho Continua”, que reúne os partidos PSD, PL, PSDB e DEM. Já a candidata do Progressistas, recentemente diagnosticada com Covid-19, concorreu pela coligação Juntos por Amor a Porto Velho, formada com o Pros.

Recife (PE)

População estimada: 1.653.461 habitantes
Eleitorado: 1.157.324 eleitores

A capital pernambucana terá segundo turno “em família”. De um lado, está deputado federal João Campos (PSB), filho de Eduardo Campos, amparado por uma rede de apoio de 11 partidos (PDT, MDB, Rede, PCdoB, SD, PROS, PV, Avante, Republicanos, PP e PSD) e o endosso do prefeito Geraldo Júlio (PSB), que não pode concorrer à reeleição. Do outro, a deputada federal Marília Arraes (PT), prima de João Campos.

João Campos obteve 233.028 votos, o que corresponde a 29,17% dos votos válidos. Já Marília Arraes recebeu 223.248 votos, o equivalente a 27,95%. Na terceira posição ficou o ex-ministro Mendonça Filho (DEM), com 200.551 votos, ou 25,11%.

Além da disputa familiar, a corrida eleitoral deste ano mostra que não se repetiu a composição observada nas eleições para o governo do estado, em 2018, quando a parlamentar petista teve que deixar de se candidatar para o partido apoiar a reeleição de Paulo Câmara (PSB).

É mais uma sinalização das dificuldades em tirar do papel a frente ampla idealizada por lideranças de esquerda para o plano nacional. Ao que tudo indica, as costuras estão muito mais avançadas entre PDT e PSB, enquanto o PT passa ao largo de boa parte das negociações, embora seja hoje o detentor do poder eleitoral do lulismo.

Rio Branco (AC)

População estimada: 413.418 habitantes
Eleitorado: 256.673 eleitores

Os candidatos Tião Bocalom (PP) e a atual prefeita, Socorro Neri (PSB), vão disputar o segundo turno para prefeitura de Rio Branco (AC), no próximo dia 29. Tião Bocalom (PP) registrou 49,58% dos votos e Socorro Neri fez 22,68% dos votos. Todas as urnas já foram apuradas, segundo dados do TSE.

Rio de Janeiro (RJ)

População estimada: 6.747.815 habitantes
Eleitorado: 4.851.887 eleitores

A capital fluminense terá segundo turno entre o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) e o atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), confirmando cenário apontado previamente pelas pesquisas eleitorais.

Com todas as urnas apuradas, o candidato democrata obteve 974.804 votos, ou 37,01% dos votos válidos, enquanto o candidato à reeleição conquistou 576.825 votos, ou 21,90%.

Na terceira colocação apareceram as candidatas Delegada Martha Rocha (PDT), com 297.751 votos, ou 11,30% dos válidos, e a deputada federal Benedita da Silva (PT), com 296.874 votos, ou 11,27% dos válidos.

O desempenho das duas candidatas indica que não houve “voto útil” na disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro para levar um nome da esquerda para o segundo turno.

Salvador (BA)

População estimada: 2.886.698 habitantes
Eleitorado: 1.897.098 eleitores

O vice-prefeito Bruno Reis (DEM) foi eleito em primeiro turno, com 64,20% dos votos. Na segunda posição ficou a candidata Major Denice (PT), com 18,86%, seguida do deputado federal Pastor Sargento Isidório (Avante), com 5,33%. Apoiado por ACM Neto (DEM), o candidato democrata construiu uma rede de apoio com outros 14 partidos: PDT, Republicanos, MDB, SD, Cidadania, PL, PSL, PSC, Patriota, PSDB, PV, DC, PMN e PTB.

A aproximação dos pedetistas, inclusive, foi interpretada nacionalmente como um gesto de boa vontade e uma porta aberta para possível aproximação das siglas na corrida presidencial. Em 2018, parlamentares do DEM chegaram a discutir a possibilidade de apoio a Ciro Gomes, movimento que não prosperou, mas que pode ser tentado mais uma vez.

São Luís (MA)

População estimada: 1.108.975 habitantes
Eleitorado: 699.954 eleitores

Haverá segundo turno na capital maranhense. A disputa será entre Eduardo Braide (Pode) e Duarte (Republicanos). Os candidatos têm, respectivamente, 37,81% (193.578) e 22,15% (113.430) dos votos válidos.

Braide já foi deputado estadual; atualmente, é deputado federal. Esta é a segunda vez que ele concorre para a prefeitura da capital maranhense. Sua vice é é Professora Esmênia, do PSD. Já Duarte é atualmente deputado estadual. Anteriormente, foi presidente do Procon no Maranhão. Fabiana Vilar, do PL, é sua vice.

São Paulo (SP)

População estimada: 12.325.232 habitantes
Eleitorado: 8.986.687 eleitores

O prefeito Bruno Covas (PSDB) enfrentará o líder dos sem-teto Guilherme Boulos (PSOL) no segundo turno da disputa pela prefeitura de São Paulo. A votação está marcada para daqui a duas semanas, em 29 de novembro.

Com todas as urnas apuradas no município, o tucano recebeu 1.754.013 votos, 32,85% dos votos válidos, contra 1.080.736 votos, 20,24%, do candidato socialista – patamar muito superior ao registrado pelas últimas pesquisas divulgadas antes do dia da votação.

O terceiro candidato mais votado na capital paulista foi o ex-governador Márcio França (PSB), com 728.441 votos, 13,64% dos votos válidos. Na sequência, apareceram o deputado federal Celso Russomanno (Republicanos), com 560.666 votos (10,50%) e o deputado estadual Arthur do Val (Patriota), com 522.210 votos (9,78%)

O congressista chegou a liderar a disputa, mas acabou perdendo terreno ao longo da campanha. Ele teve como uma de suas principais estratégias a vinculação ao nome do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que manifestou apoio público à sua candidatura.

Teresina (PI)

População estimada: 868.075 habitantes
Eleitorado: 558.661 eleitores

O segundo turno da eleição para a prefeitura de Teresina será entre os candidatos Dr. Pessoa (MDB), e Kleber Montezuma (PSDB). Com 100% das seções apuradas, o médico e professor, Dr. Pessoa, teve 34,53% dos votos válidos (142.769 votos), enquanto o economista e ex-secretário de Educação, Montezuma, ficou com 26,70% (110.395 votos).

A aliança composta por Dr. Pessoa para concorrer à esta eleição se deu entre os partidos MDB, PRTB e PSB. Já Montezuma, a corrida se deu através da coligação entre os partidos PSDB, PP, PSL, AVANTE, PDT, DEM, PMB, PV e PODE.

Vitória (ES)

População estimada: 365.855 habitantes
Eleitorado: 251.464 eleitores

Os candidatos Delegado Pazolini (Republicanos) e João Coser (PT) vão disputar o segundo turno das eleições em Vitória. Delegado Pazolini teve 30,95% dos votos válidos e João Coser, 21,82%.

(com Agência Brasil)

Receba o Barômetro do Poder e tenha acesso exclusivo às expectativas dos principais analistas de risco político do país
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.