Eleições 2010: para analista da MCM, principal questão é futuro político de Aécio

A decisão do mineiro de abdicar da candidatura à Presidência consolida cenário mais provável, com Serra como candidato

SÃO PAULO – Na quinta-feira (17), o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, anunciou que não irá concorrer à Presidência nas eleições do próximo ano. Para Ricardo Ribeiro, analista político da MCM Consultoria, o fato consolida o que já era o cenário mais provável: José Serra, governador de São Paulo, será o candidato do PSDB.

Agora, a grande questão dentro do partido é o futuro político de Aécio. Há boas chances de que ele concorra ao Senado mineiro, mas dentro do PSDB, do DEM e do PPS, a prioridade é convencê-lo a compor uma chapa puro-sangue com Serra.

Para Ribeiro, caso o governador mineiro efetivamente aceite esta condição – que ele vem rechaçando desde o início do processo decisório -, as chances da oposição ganhar a disputa aumentam consideravelmente.

PUBLICIDADE

Convencimento
O analista político acredita que será oferecido um espaço considerável no eventual governo para Aécio, como modo de convencê-lo a aceitar a posição. Para Ribeiro, pode pesar nessa decisão principalmente a falta de conhecimento do mineiro entre o eleitorado, e um papel de maior destaque nacional, “até um ministério importante”, poderia ajudá-lo a ganhar visibilidade.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, ao comentar a decisão manifestada pelo governador de Minas Gerais, disse acreditar que Aécio tem qualidades para assumir cargos importantes no Planalto. “Não só Minas, mas todo o Brasil vê no governador qualidades de liderança que o credenciam a assumir as mais altas responsabilidades da República.”

Itamar Franco
Caso Aécio concorra ao Senado, ainda não existe consenso quanto a quem poderia ocupar a posição de vice de Serra. Após os recentes escândalos no Distrito Federal envolvendo o DEM, existe certa resistência dentro do PSDB em indicar alguém desta legenda para a vaga.

Por isso, alguns apoiadores de Aécio já especulam sobre o nome de Itamar Franco, filiado ao PPS. Para Ricardo Ribeiro, no entanto, ainda é muita especulação falar sobre Itamar. “Esta novela ainda vai se arrastar por um bom tempo”, concluiu.