Evento nos EUA

Eduardo Bolsonaro fala nos EUA que governo “talvez não consiga” aprovar reforma da Previdência e gera apreensão

"Nunca virei aqui para sorrir para vocês e dizer 'nós faremos facilmente uma reforma da Previdência'. Não. Será difícil, será uma briga, talvez não consigamos fazer, mas faremos o nosso melhor“, disse ele em evento organizado pelo Brazil-US Business Council,

SÃO PAULO – O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, jogou um “balde de água fria” ao falar aos investidores estrangeiros em evento nos EUA sobre as possibilidades da aprovação da reforma da previdência. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo, que teve acesso a áudio com trecho do encontro e também a informações com três fontes presentes na reunião.

Durante almoço organizado pelo Brazil-US Business Council, o deputado federal buscou passar uma perspectiva otimista sobre o Brasil no próximo governo, mas admitiu a dificuldade no que classificou como uma das prioridades da gestão Bolsonaro.

De acordo com ele, o governo “talvez não consiga” votos para aprovar a reforma da Previdência no Congresso.

PUBLICIDADE

“Precisamos usar a votação maciça do Jair Bolsonaro e os canais de redes sociais, onde temos conexão direta com as pessoas, para dizer a verdade (sobre a importância da reforma da Previdência). Tentaremos fazer o melhor. Se não tivermos uma vitória, desculpem, mas fiz minha parte. Não mentirei a vocês. Nunca virei aqui para sorrir para vocês e dizer ‘nós faremos facilmente uma reforma da Previdência’. Não. Será difícil, será uma briga, talvez não consigamos fazer, mas faremos o nosso melhor”, disse Eduardo, quando perguntado sobre passos iniciais do novo governo e do novo Congresso. A fala foi recebida com apreensão por presentes no encontro. 

Eduardo também disse que a reforma aprovada “não será perfeita” e que apoia a transição para um sistema de capitalização, como defende o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. “A melhor reforma da Previdência não é a que os técnicos dizem ser a melhor. É aquela possível de ser aprovada no Congresso”, afirmou. “Adoraríamos mudar isso para um sistema de capitalização. Como? Paulo Guedes os dirá”, afirmou. 

Durante o evento, ele também falou sobre o possível encaminhamento do projeto de lei que impõe proibição de capital estrangeiro na assistência à saúde e sobre as restrições à aquisição de terras por estrangeiros. 

Os eventos de Eduardo Bolsonaro nos EUA não foram abertos à imprensa e a agenda do deputado também não foi divulgada. Os anúncios das reuniões eram feitos pelo Twitter do deputado e do assessor para Assuntos Internacionais do PSL, Filipe Martins, após o fim de cada uma das reuniões.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na XP e conte com assessoria especializada e gratuita

 

PUBLICIDADE