Disputa entre governo e oposição deve levar votação da CPMF até a madrugada

Mesmo sem acordo firmado, base governista espera derrotar opositores e reduzir o número de emendas e destaques em pauta

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O governo decidiu na quarta-feira (26) ir para o voto no debate sobre os destaques e emendas para a prorrogação da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras), mesmo sem entrar em acordo com a oposição.

A expectativa é de que a votação seja concluída durante a madrugada de quinta-feira. Os aliados da base governista receberam um importante apoio com a pacificação do PMDB. O partido esboçava uma rebelião para “barrar” o tema.

O objetivo dos governistas é rejeitar as emendas e destaques, reduzindo de dez destaques para sete, e de 26 emendas para apenas 5. Embora represente a menor quantidade dos deputados na casa, a oposição não aceita esta possibilidade, e promete manter a resistência às votações.

Estratégia da base governista

PUBLICIDADE

Em meio a este cenário, o governo está mobilizando sua base para permanecer em plenário até o final das votações.

Vale ressaltar que, após a conclusão deste trabalho, começa o valer o prazo de cinco sessões para a votação do segundo turno da CPMF.