Eleições

Dilma tem impasse com PT e decide por suspender a divulgação do plano de governo

Além dos recentes problemas de Marina com seu plano de governo, propostas envolvendo trabalho e emprego também estão "atrasando" a divulgação

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Se ontem o candidato do PSDB Aécio Neves disse que irá divulgar seu plano de governo “quando ele estiver pronto”, hoje foi a vez da atual presidente Dilma Rousseff (PT) ser destaque por causa de seu programa. Segundo a Folha de S. Paulo, a candidata à reeleição decidiu suspender a divulgação do plano após um impasse em algumas questões com alas do PT, que defendem propostas diferentes do governo.

Quando registrou sua candidatura no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Dilma já havia apresentado uma prévia de suas ideias, e pretendia, durante sua campanha, ir divulgando suas propostas de forma mais completa, partindo de cada tema que estava sendo debatido. Porém, sem o consenso do partido com o governo, a divulgação não tem ocorrido.

Entre os problemas divulgados pela Folha estão as propostas de trabalho e emprego, além da Lei da Anistia, a qual Dilma seria favorável, mas não encaminha a medida para não provocar uma crise com as Forças Armadas. Outro fator que preocupa é a experiência de Marina Silva, que divulgou seu plano e acabou precisando mudar, o que até agora tem sido uma das “armas” de seus adversários contra ela.

Aprenda a investir na bolsa

De forma oficial, Dilma disse que não iria divulgar seu programa de governo porque suas propostas seriam conhecidas pela televisão e na internet. Apesar de tentar fazer isso desde o início das propagandas eleitorais, a petista “atrasou” essa divulgação por conta das divergências.

No caso de Aécio Neves, após ter dito que seu programa de governo sairia dia 15 deste mês, ontem o candidato disse que seu programa será apresentado “quando estiver pronto”Quando questionado sobre o atraso da divulgação, o candidato aproveitou para alfinetar a candidata do PSB, Marina Silva, que está concorrendo lado-a-lado à presidência com Dilma Rousseff, e declarou que seu programa não será feito “à lápis”, mas será feito “à caneta”, querendo dizer que não irá modificar seu programa.