RADAR INFOMONEY AO VIVO Veja como os analistas avaliam os impactos do ressurgimento de casos de Covid nas bolsas e na economia

Veja como os analistas avaliam os impactos do ressurgimento de casos de Covid nas bolsas e na economia

Reta final

Dilma será intimada nesta sexta-feira e julgamento do impeachment começará dia 25

A intimação de Dilma deve ocorrer por um oficial de Justiça a serviço do presidente do STF, Ricardo Lewandowski, responsável por comandar o processo de impeachment

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Ficou decidido nesta quinta-feira (11) que o julgamento final do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff irá começará no dia 25 de agosto. Isto porque a petista será intimada amanhã à tarde sobre o andamento do processo logo após o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, que é seu advogado, entregar as alegações finais da defesa.

Com isso, a expectativa é que processo se encerre ainda este mês. A intimação de Dilma deve ocorrer por um oficial de Justiça a serviço do presidente do STF, Ricardo Lewandowski, responsável por comandar o processo de impeachment. A presidente, porém, não é obrigada a comparecer.

Apesar de já ter definido a data de início do julgamento final, Lewandowski só decidirá o calendário da sessão a partir da próxima semana, quando irá se reunir com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e outros líderes partidários. A sessão do julgamento final pode demorar até cinco dias segundo algumas previsões. Nestes encontros deve ser definido o rito e os horários para início e suspensão da sessão em cada dia.

Aprenda a investir na bolsa

A acusação tem direito a levar seis testemunhas, mas segundo um dos autores do processo, Miguel Reale Júnior, a ideia é levar entre duas e três pessoas exatamente para encurtar o processo. Cardozo tem até as 13h40 desta sexta para entregar as alegações finais da defesa.

Em seguida, são necessários dez dias de intervalo para que se inicie o julgamento final. Como o prazo não pode começar a ser contado em um final de semana, ele se iniciará na próxima segunda-feira (15). Na última quarta-feira o Senado concluiu a votação do processo em que tornou Dilma ré por 59 votos a 21.