Economia

Dilma se irrita ao ser questionada se segue cartilha de privatizações do PSDB

Presidente afirmou que o modelo de investimentos no País é dela e diz que o Brasil vivia em uma paralisia nos últimos 20 anos

SÃO PAULO – A presidente Dilma Rousseff se irritou nesta quarta-fiera (27), durante sua comemoração do resultado do leilão da BR-163, ao ser questionada pelo jornal Estado de S. Paulo se o Palácio do Planalto está seguindo a cartilha de privatizações do PSDB. “O modelo, meu querido, é meu”, afirmou ela.

“Na hora de se defender, todo mundo tem direito de falar o que quer”, continou Dilma. “Eu não tenho conhecimento de nenhum investimento dessa envergadura feito antes de 2003, não tenho nenhum conhecimento disso. Você me mostra aonde”, concluiu ela ao falar sobre a ampliação do Porto de São Francisco do Sul, que teve investimento de R$ 30 milhões do governo.

Dilma elogiou o leilão da BR-163 e afirmou que o deságio foi significativo numa rodovia estratégica para o escoamento da produção de grãos. Na última semana, ela afirmou que, quando o PT acompanha a “agenda proposta” pelos tucanos, o partido acerta. Para Aécio Neves, o PT “demonizou” a participação do setor privado em aeroportos, portos, rodovias e ferrovias durante toda sua história, e agora “se curva a realidade”.

PUBLICIDADE

Dilma ainda aproveitou o lançamento da obra portuária para atacar seus antecessores, afirmando que o Brasil vivia uma “paralisia” de investimentos. Segundo ela, essa obra faz parte do PAC, iniciado em 2007, e marca a volta de grandes investimentos no País depois de 20 anos de paralisia. Por fim, a presidente ainda afirmou que o Brasil precisa ganhar em produtividade e que por isso o governo fala tanto em investir na infraestrutura.