AO VIVO Por Dentro dos Resultados: Vice-presidente e diretor de RI da Raia Drogasil comentam os números da rede de drogarias

Por Dentro dos Resultados: Vice-presidente e diretor de RI da Raia Drogasil comentam os números da rede de drogarias

Entrevista à Bloomberg

Dilma Rousseff vê como provável visita aos EUA ainda este ano

Dilma disse em entrevista à Bloomberg ontem que tratará do assunto em encontro com o Presidente Barack Obama durante a Cúpula das Américas

arrow_forwardMais sobre

(Bloomberg) — A Presidente Dilma Rousseff pretende fazer uma visita aos Estados Unidos ainda este ano após ter cancelado viagem agendada em 2013 ao descobrir que era espionada pelo governo americano.

Dilma disse em entrevista à Bloomberg ontem que tratará do assunto em encontro com o Presidente Barack Obama durante a Cúpula das Américas, reunião dos chefes de estado do continente, que acontecerá na Cidade do Panamá em 10 e 11 de abril.

A viagem seria uma visita de governo, diferente da chamada visita de Estado planejada há dois anos. Na visita de Estado, o cerimonial é mais detalhado e formal, podendo envolver mais atividades e autoridades.

“Eu recebi o convite dos Estados Unidos e uma das questões que vou tratar com Barack Obama é justamente a minha viagem,” disse Dilma no Palácio de Planalto. “Se eu fosse fazer uma viagem de Estado, teria que ser em março do ano que vem. Mas já é um ano eleitoral. Então provavelmente não farei uma visita de Estado, farei uma visita de governo ainda este ano.”

A presidente disse que o episódio da espionagem pela NSA, agência americana de segurança, não paralisou o relacionamento entre os dois países e grupos de trabalho continuaram avançando em assuntos como a exigência de vistos para turistas.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, viajou a Washington no mês passado como parte da estratégia para discutir formas de aumentar o fluxo de comércio entre os dois países. Ele disse que os Estados Unidos são prioridade para o comércio exterior do Brasil.

Dilma disse que vê oportunidades de parceria com os Estados Unidos no setor de energia, incluindo etanol, baterias e energia solar.

PUBLICIDADE