Dilma Rousseff aponta os rumos da economia em seu primeiro discurso após eleita

Candidata eleita no último domingo defendeu o controle dos gastos públicos e o combate à especulação financeira

SÃO PAULO – Em seu primeiro discurso como presidente eleita do Brasil, Dilma Rousseff, do PT, sinalizou algumas medidas econômicas que serão adotadas em seu governo, tais como o controle dos gastos públicos e o combate à especulação financeira.

Com as principais economias globais ainda sofrendo com a crise, a presidente afirma que medidas voltadas ao mercado interno ganham relevância. “Por isso, se tornam ainda mais importantes nossas próprias políticas, nosso próprio mercado, nossa própria poupança e nossas próprias decisões econômicas”, afirmou a ex-ministra chefe da Casa Civil.

Redução da volatilidade
No entanto, ela ressaltou que não pretende fechar o Brasil para o exterior, mas que, por outro lado, é necessário estabelecer regras mais claras, como a limitação da alavancagem, de modo a reduzir a volatilidade das moedas e do mercado de capital. “Atuaremos firmemente nos fóruns internacionais com este objetivo”, discursou Dilma.

PUBLICIDADE

Controle dos gastos públicos
Outro ponto abordado pela candidata eleita no último domingo foi quanto ao controle dos gastos públicos, no entanto sem reajustes nos programas sociais. “Faremos todos os esforços pela melhoria de qualidade do gasto público, pela simplificação e atenuação da tributação e pela qualificação dos serviços públicos”, continuou a petista.

Fundo do Pré-Sal
Por fim, a criação do Fundo do Pré-Sal também esteve presente no primeiro discurso de Dilma após eleita. “Teremos os recursos provenientes de nossas riquezas sempre com pensamento de longo prazo. Por isso trabalharei no Congresso pela aprovação do Fundo Social do Pré-Sal”, afirmou Dilma.