Dilma Rousseff anuncia o nome de Antônio Palocci para comandar a Casa Civil

Presidente eleita revela ainda Gilberto Carvalho para Secretaria Geral da Presidência e Eduardo Cardozo para Ministério da Justiça

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A presidente eleita Dilma Rousseff, do PT, anunciou nesta sexta-feira (3), através de nota oficial, os nomes de Antônio Palocci, Gilberto Carvalho e José Eduardo Cardozo para assumirem, respectivamente, a Casa Civil, a Secretaria Geral da Presidência e o Ministério da Justiça.

“A presidente eleita orientou os futuros ministros a trabalhar de forma integrada com os demais setores do governo para dar cumprimento a seu programa de desenvolvimento com distribuição de renda e garantia da estabilidade econômica”, revelou a nota oficial.

Cardozo: continuidade e responsabilidade fiscal
Em novembro, quando já era cotado para o cargo de ministro da Justiça, Cardozo falou a executivos em evento da Economist em São Paulo, e ressaltou que o governo da sucessora de Lula será baseado na continuidade e aprofundamento das melhoras feitas pelo presidente.

PUBLICIDADE

Questionado, Cardozo afirmou que a decisão de onde virão os cortes nos gastos públicos não cabe a ele, mas sim ao novo governo. “Temos uma visão de erros passados, que não se repetirão”, disse, batendo na tecla de uma gestão financeira responsável e sustentável. “Sabemos os malefícios da irresponsabilidade fiscal”, destacou. “É ruim e não contribui com o desenvolvimento”.

Exaltando a gestão de Henrique Meirelles à frente do Banco Central e a importância da autonomia operacional da instituição, Cardozo afirmou que a Selic é “um assunto complexo”, e que deve ser considerado em um contexto de desenvolvimento sustentável e com taxas elevadas. “Teremos prudência, seguindo os passos do governo Lula”, afirmou.

Nomes confirmados
Com a confirmação destes nomes, Dilma já confirmou seis importantes cargos do primeiro escalão de sua equipe. Guido Mantega permanece à frente do Ministério da Fazenda, Miriam Belchior assume o Ministério do Planejamento e Alexandre Tombini estará à frente do Banco Central.

No último mês, quando os nomes de Mantega, Miriam e Tombini foram anunciados, Dilma determinou que a nova equipe assegurasse “a continuidade da bem-sucedida política econômica do governo Lula – baseada no regime de metas de inflação, câmbio flutuante e responsabilidade fiscal”.

Segundo a MCM Consultores, Tombini tem uma boa relação com Guido Mantega e é considerado “um técnico competente e um economista de boa formação que não pode ser qualificado inequivocamente como ‘desenvolvimentista’ ou ‘ortodoxo’”. Na avaliação da consultoria, o trio representa uma equipe mais harmônica. “Resta saber se será também uma equipe mais subordinada ao comando da Presidência”, frisou a MCM, completando que a dúvida diz respeito à autoridade monetária. “Embora Tombini não assuste o mercado, ainda terá que provar na prática que a autonomia operacional do BC foi de fato mantida”.