Entrevista ao Handelsbatt

Dilma reconhece que não cumpriu o que prometeu e pede: “nos dê mais tempo”

Em entrevista ao jornal alemão Handelsbatt, a presidente Dilma Rousseff pediu mais tempo para que possa entregar o que prometeu durante a campanha eleitoral

(Lula Marques/ Agência PT)

SÃO PAULO – Em entrevista ao jornal alemão Handelsbatt, a presidente Dilma Rousseff pediu mais tempo para que possa entregar o que prometeu durante a campanha eleitoral do ano passado. 

A presidente ainda afirmou que vê mais 6 a 12 meses de recessão, reconhecendo que o caminho posterior será difícil e “ninguém vai passar sem ajustes dolorosos”. 

Dilma também reconheceu que não conseguiu entregar o que prometeu: “em nove meses desde a eleição, nós não conseguimos implementar o que prometemos para o segundo mandato. Eu digo: nos dê mais tempo e então nós poderemos alcançar as expectativas”, afirmou. 

PUBLICIDADE

Quando perguntada sobre o esquema de corrupção na Petrobras, que está sendo investigado pela Operação Lava Jato, a presidente destacou: “nós não queremos criminalizar as empresas ou puni-las coletivamente. Nosso modelo é o dos Estados Unidos que pune os responsáveis, e as empresas seguem em frente”.

A presidente também falou sobre os problemas para se fazer negócios no Brasil devido à burocracia e à lentidão das agências. Ela afirmou que o Brasil está trabalhando em uma regra que concederia aprovação automática a propostas que não sejam decididas em um determinado prazo de tempo.

Dilma afirmou ainda Brasil ainda é bastante estável: “nós não temos uma bolha que poderia estourar. Nem no mercado da habitação, nem no endividamento de pessoas e empresas. Nossos bancos são sólidos. Temos elevadas reservas cambiais, que se acumularam nos bons tempos”, afirmou.