Eleições

Dilma reage à Marina com apoio a igrejas e “força-tarefa” para convencer empresários

De acordo com o apurado pela Folha de S. Paulo, uma das iniciativas será desengavetar o projeto para conceder diversos benefícios a instituições religiosas, como tributários

SÃO PAULO – Em meio à queda nas últimas pesquisas de intenção de voto, a candidata Dilma Rousseff (PT) elaborou um conjunto de ações para conter o avanço de Marina Silva (PSB). As medidas incluem o atendimento a uma das principais bandeiras evangélicas no Congresso: o apoio à Lei Geral das Religiões.

De acordo com o apurado pela Folha de S. Paulo, uma das iniciativas será desengavetar o projeto para conceder diversos benefícios a instituições religiosas, como tributários. O primeiro ato do pacote anti-Marina será determinar o status de urgência da proposta, permitindo pular etapas de tramitação e ganhar prioridade de votação. Trata-se de uma medida para furar a adesão das igrejas pentecostais à campanha de Marina, que é evangélica

A ofensiva petista para neutralizar Marina também contará com uma força-tarefa para afirmar aos empresários que o programa da rival travará o gasto público em infraestrutura e provocará desemprego. O plano de Dilma prevê facilitar o crédito ao setor privado. 

PUBLICIDADE