Menos ministérios

Dilma prepara reforma e avalia o efeito de cortar de 5 a 10 ministérios

A proposta está sendo preparada pelo Ministério do Planejamento e pode ser apresentada ainda esta semana, na volta do recesso do Congresso Nacional

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Se tem algo que vem sendo bastante discutido nos últimos anos é a quantidade de ministérios existentes no Brasil. Durante as eleições de 2014, partidos de oposição defenderam a redução dos atuais 38 ministérios, algo que a presidente Dilma Rousseff (PT) em nenhum momento falou que iria fazer. Porém, diante da atual crise política, a petista parece ter mudado de ideia.

Segundo a colunista do G1, Cristiana Lôbo, Dilma deve promover uma ampla reforma administrativa de modo a reduzir significativamente o número de ministérios e estabelecer critérios de mérito para o preenchimento de parcela dos mais de 22 mil cargos de confiança na administração federal.

No momento, técnicos do Planalto estão avaliando o efeito financeiro de cortar de 5 a 10 ministérios e já receberam o aval da presidente para tomar medidas deste tipo como uma sinalização de austeridade por parte do governo. A ideia é rebater as críticas de que atualmente o Executivo joga o ajuste para cima da população ao cortar investimentos e manter os gastos com servidores e políticos. 

Aprenda a investir na bolsa

“Fusão ou redução de ministérios é uma preocupação sempre constante de qualquer governo – e deste governo”, disse ontem o ministro da Defesa, Jaques Wagner. 

Na mira da tesoura estão os seguintes ministérios: Pesca, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e as Secretarias de Assuntos Estratégicos, Portos e da Micro e Pequena Empresa. Outra forma de reduzir o número de ministros seria a extinção de ministérios que foram criados nos últimos anos – como a secretaria das Mulheres e a da Igualdade Racial. Mas são pastas que dialogam diretamente com a base social do PT. Para isso, uma ideia em discussão é criar o Ministério das Minorias, reunindo todos num só ministério. Segundo integrantes do governo, as pastas da área social seriam preservadas, para não irritar movimentos da base do PT.

Apesar de ir contra o interesse de partidos aliados, a redução de ministérios vai ao encontro de proposta do PMDB de reduzir para 20 o número de ministérios na administração federal. O projeto, inclusive, foi lançado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e apresentado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), antes de serem citados na Operação Lava Jato. Segundo a colunista, esta proposta tem o objetivo de mostrar à sociedade que, neste momento de ajuste fiscal, o governo é capaz de cortar na própria carne, mas, ao mesmo tempo, fazer alguma economia.