Eleições

Dilma pode anunciar ministro da Fazenda na reta final para acalmar mercados; confira nomes

Entre os cotados, estão Nelson Barbosa, Aloizio Mercadante, Luciano Coutinho, Otaviano Canuto e Josué Gomes da Silva

SÃO PAULO – De acordo com informações do jornal O Globo deste final de semana, a presidente Dilma Rousseff (PT) pode anunciar a sua equipe econômica dependendo da reta final da campanha de modo a acalmar o mercado.

Segundo o jornal, essa poderia ser uma cartada para tentar reverter a aversão do mercado financeiro à gestão petista e ganhar apoio extra, com a ideia sendo defendida por parte dos integrantes da campanha. Outros, no entanto, afirmam que ela deveria esperar passarem as eleições para se posicionar.

Um dos mais cotados para ocupar o lugar de Guido Mantega no ministério da Fazenda seria o seu desafeto Nelson Barbosa, mas ele nega que será o indicado pela presidente. Barbosa conta com o apoio do ex-presidente Lula, tem bom trânsito no setor público e é bem visto pelo mercado financeiro.

PUBLICIDADE

Por outro lado, há também o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, que tem servido como contraponto a Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central e futuro ministro da Fazenda caso o candidato do PSDB, Aécio Neves, vença o pleito.

Também são cotados presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e até o ex-secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda Otaviano Canuto, hoje no Banco Mundial. Ainda segue no radar o nome de Josué Gomes da Silva, filho do ex-vice-presidente José Alencar, que também é cotado para compor a equipe de Dilma no comando do Ministério do Desenvolvimento.

Além do ministro da fazenda, Dilma também pode mudar integrantes de cargos estratégicos, como o do secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, autor das manobras que deterioraram as contas públicas nos últimos anos. Outro que deve sair é Márcio Holland, que ao comentar o resultado da inflação de setembro, sugeriu que os brasileiros substituíssem a carne bovina, que subiu de preço, por ovos e frango, o que teria enfurecido a presidente.