Forbes

Dilma perde duas posições, mas segue no “top 5” das mulheres mais poderosas do mundo

Ocupante da 2ª posição na lista anterior, presidente é ultrapassada por Janet Yellen e Melinda Gates; Graça Foster e Gisele Bundchen também estão no ranking

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A nova lista das mulheres mais influentes do mundo, feita pela Forbes, trouxe novidades na ponta de cima do ranking da revista, com a presidente Dilma Rousseff deixando a segunda posição para ocupar a quarta. Agora, na frente da líder brasileira, além da chanceler alemã Angela Merkel – que se manteve na primeira posição -, aparecem a novata Janet Yellen, presidente do Federal Reserve, e a filantropa Melinda Gates.

Sobre a presidente da sétima maior economia do mundo e sede das próximas edições da Copa do Mundo e das Olimpíadas, a Forbes destacou sua participação no discurso contra o programa de espionagem norte-americano, denunciado pelo ex-técnico da CIA (Central Intelligence Agency), Edward Snowden. Na ocasião, Dilma chegou a até cancelar sua visita a Washington após descobrir que teve seus e-mails interceptados pela inteligência americana.

A lista das mulheres mais poderosas da revista conta com 14 chefes de Estado, com 9 delas de países com PIB (Produto Interno Bruto) de US$ 11,1 trilhão e 641 milhões de pessoas. A metodologia do levantamento leva em conta aspectos como dinheiro, exposição na mídia e esferas de influência e impacto.

Aprenda a investir na bolsa

A relação também traz 28 presidentes-executivas de companhias com receita anual de US$ 1,7 trilhão de dólares. Entre elas está a presidente da Petrobras (PETR3; PETR4), Graças Foster, que ocupa a 16ª posição. “Após 30 anos na empresa, ela tem a experiência e as conexões (incluindo com a presidente Dilma) para administrar uma companhia com ativos de mais de 100 bilhões de dólares”, segundo a Forbes.

Outra brasileira que aparece na lista deste ano é a modelo Gisele Bundchen, na 89ª posição.

(com Reuters)