RADAR INFOMONEY Por que o Santander surpreendeu o mercado? Veja as perspectivas para as ações dos bancos

Por que o Santander surpreendeu o mercado? Veja as perspectivas para as ações dos bancos

Defesa

Dilma fala em “colaboração implorada” e diz que depoimento de Palocci é “ficção”

Dilma diz ainda que "a lógica que move o senhor Antonio Palocci é a mesma que acomete outros delatores presos por longos períodos"

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A assessoria da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) divulgou uma nota nesta quinta-feira (7) para rebater as declarações dadas pelo ex-ministro Antonio Palocci em depoimento à Justiça Federal na véspera. Ela afirmou que é mentira que teria recebido “facilidades” da Odebrecht e que tudo não passa de uma estratégia de Palocci em busca de “benefícios da delação premiada”.

“O senhor Antonio Palocci falta com a verdade quando aponta o envolvimento de Dilma em supostas reuniões de governo para tratar de facilidades à empresa Odebrecht seja durante o mandato do presidente Lula ou no primeiro governo dela”, diz a nota. “Tais encontros ou tratativas relatadas pelo ex-ministro jamais ocorreram. Relatos de repasses de propinas também são uma mentira”, continua.

“O episódio em que cita um inacreditável benefício à Odebrecht pelo governo Dilma Rousseff, durante o processo de concessões de aeroportos, mostra que o senhor Antonio Palocci mente”, diz o documento. Segundo a defesa da petista, a decisão de conceder aeroportos a iniciativa provada foi tomada pelo governo parar gerar concorrência entre as empresas concessionárias.

Aprenda a investir na bolsa

A nota diz ainda que “a lógica que move o senhor Antonio Palocci é a mesma que acomete outros delatores presos por longos períodos”. “A colaboração implorada é o esforço de sobrevivência e a busca por liberdade. Isso não significa que se amparem em fatos e na verdade. É um recurso desesperado para se livrar da prisão. Em outros períodos da história do Brasil, os métodos de confissão eram mais cruéis, mas não menos invasivos e implacáveis”, continua o texto.