Protesto

Dilma é vaiada em inauguração de ponte em Santa Catarina

Servidores dos Correios, do Judiciário Federal, da Polícia Rodoviária Federal e integrantes do MBL fizeram protesto contra a presidente; presidente disse que é preciso coragem para enfrentar a crise

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Servidores dos Correios, do Judiciário Federal, da Polícia Rodoviária Federal e integrantes do MBL (Movimento Brasil Livre) vaiaram a presidente Dilma Rousseff (PT) nesta quarta-feira (15) durante a inauguração da ponte Anita Garibaldi em Laguna (SC). A ponte é a maior obra do governo federal no estado segundo informações da Folha de S. Paulo

Funcionários do Setor Judiciário pediram que Dilma sancione a PLC 28, que reajusta os salários da categoria. O grupo afirma que em seis anos teve 54% de perdas salariais. “A presidente tem até o dia 21 deste mês para sancionar a PLC. O impacto no orçamento não vai ser grande porque o pagamento das perdas será parcelado”, disse Paulo Koinski, coordenador do sindicato da categoria. 

Segundo estimativas dos próprios servidores do Judiciário, o número de manifestantes presentes no evento foi de mil pessoas. Já os funcionários dos Correios pleitearam a realização de concursos públicos. “O atendimento à população está precário. É insuportável o ritmo de trabalho nos Correios atualmente”, disse o carteiro Samuel de Matos. Por fim, os policiais rodoviários pediram “valorização profissional”. 

PUBLICIDADE

O discurso de Dilma mais de uma vez foi quase interrompido por palavras de ordem como “o povo, na rua, Dilma a culpa é tua”. A presidente disse, sem citar as manifestações ou o momento político em que vive, que as dificuldades econômicas serão superadas e que é preciso ter “humildade” para superá-las. “É preciso humildade para reconhecer que se passa por dificuldade, mas também é preciso coragem e dignidade para poder superar as dificuldades”, disse.