Política

Dilma e Lula buscam aumentar ausências e abstenções para tentar barrar o impeachment

O esforço do governo tem sido, sobretudo, sobre os 21 deputados que ainda não chegaram à Casa nesta tarde

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva buscam aumentar ausências e abstenções de deputados nos últimos minutos antes de iniciar a votação do impeachment no plenário da Câmara, segundo informações da Folha de S. Paulo

O Palácio da Alvorada reconhece a situação como “difícil” e “grave”, mas ainda tem esperança nessa estratégia. De acordo com o jornal, desde a manhã deste domingo (17), os dois petistas têm entrado em contato com governadores e vice-governadores do País para que aumentem a pressão sobre suas bancadas federais. 

Lula teria ligado para governadores aliados ao Planalto para pedir que cada um deles conseguisse reverter ao menos dois votos contra o impeachment da presidente. O esforço do governo tem sido, sobretudo, sobre os 21 deputados que ainda não chegaram à Casa. Até às 16h11 (horário de Brasília), 492 deputados federais registravam presença em plenário da Câmara dos Deputados. 

Aprenda a investir na bolsa

Acompanhe a sessão em tempo real: