Escolhida

Dilma é eleita uma das mulheres do ano pelo Financial Times

Na lista ainda estão a primeira-ministra britânica Theresa May, a ginasta americana Simone Biles, a cantora Beyoncé, e a democrata Hillary Clinton

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Mais uma publicação elegeu as principais pessoas do ano, e desta vez a ex-presidente Dilma Rousseff foi colocada como uma das mulheres de 2016 pelo jornal britânico Financial Times. Na lista ainda estão a primeira-ministra britânica Theresa May, a ginasta americana Simone Biles, a cantora Beyoncé, além de Hillary Clinton, a democrata derrotada por Donald Trump nas eleições americanas.

Para a publicação, Dilma está mais para uma “tecnocrata nerd” que para uma política nata. “Ela nunca está mais feliz do que quando discute os detalhes íntimos do Orçamento federal, com auxílio de PowerPoint”, diz o texto do jornal britânico. Em entrevista para a matéria, Dilma disse que não pretende disputar mais nenhum cargo eletivo, mas continuará “politicamente ativa”.

“Dilma deve ainda estar chocada com a reviravolta em sua fortuna – inversão que correspondeu à de sua nação, que em poucos ano passou de milagre econômico a desapontamento”, continua a publicação ao comentar o impeachment concluído em agosto.

Aprenda a investir na bolsa

O Financial Times ainda destaca a reprovação das contas da petista antes de sofrer o processo de impeachment. “Enquanto ela argumenta que os presidentes anteriores usaram os mesmos truques orçamentários, seu governo foi o primeiro desde antes da segunda guerra mundial a ter suas contas rejeitadas pelo órgão fiscalizador das contas públicas, o TCU”, afirma o texto ressaltando que a saída dela foi um caso político.

“A verdadeira razão pela qual ela perdeu o poder foi a queda da popularidade em meio a uma recessão crescente e a uma investigação de corrupção na estatal Petrobras”, diz a matéria.