Sem rodeios

“Dilma é a serva do capeta e eu não quero conversa com ela”, detona Bolsonaro

O deputado federal criticou apoio do PP à Dilma e disse que o partido vendeu tempo de televisão para a campanha da petista.

SÃO PAULO – Desafeto de Luciana Genro, o deputado federal (PP), Jair Bolsonaro, está satisfeito com as intenções de voto da sua candidatura à reeleição e não poupou críticas à presidente, Dilma Rousseff, afirmando que jamais apoiaria a petista, “porque ela quer roubar a nossa liberdade”.

“A Dilma é serva do Capeta e não quero conversa com ela não”, detonou o deputado federal. “O meu partido vendeu tempo de televisão para ela. Não vejo outro motivo para que o PP esteja coligado com a Dilma”, completou.

No primeiro turno, Bolsonaro está alinhado com a candidatura de Pastor Everaldo, do PSC, e não nega simpatizar com o presidenciável do PSDB, Aécio Neves.

PUBLICIDADE

Para ele, o que levará Marina Silva, candidata do PSB, ao segundo turno é a comoção com a sua campanha e os seus feitos no passado, apesar de a ex-senadora ter sido petista por muitos anos. “Se o segundo turno for entre Marina e Dilma, considero conversar com a pessebista”, concluiu.