Mesmo discurso

Dilma destaca que opositores vão acabar com o Bolsa Família se forem eleitos

Ao lado do prefeito Fernando Haddad e de Alexandre Padilha, Dilma aproveitou para alfinetar Alckmin, dizendo que os avanços do metrô de São Paulo ocorrem “a passo de tartaruga”.

SÃO PAULO – A presidente Dilma Rousseff (PT) voltou a utilizar um discurso agressivo contra seus principais opositores na corrida presidencial durante comício neste sábado. A candidata à reeleição afirmou novamente que seus adversários acabarão com o programa Bolsa Família caso sejam eleitos.

“Há poucos dias da eleição, a tensão prevalece e começam a surgir uma série de boatos por aí. Alguns dizem que o Bolsa Família, o nosso carro-chefe para reduzir a pobreza e a desigualdade, vai acabar. Vai acabar de eles forem eleitos”, afirmou a petista.

 Ao destacar as conquistas dos brasileiros nos últimos anos, Dilma foi contundente ao dizer que, enquanto for presidente, seguirá defendendo o emprego e o salário. “Estamos convivendo com a primeira geração que não passou fome e que teve acesso à educação. Não deixaremos que isso se perca”.

PUBLICIDADE

Acompanhada pelo senador, Eduardo Suplicy, pela ex-prefeita, Marta Suplicy, pelo coordenador de sua campanha, Luiz Marinho, pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e pelo candidato ao governo do estado pelo PT, Alexandre Padilha, a presidente destacou a necessidade de integração entre os três níveis de governo e aproveitou para alfinetar o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição.

“Já combinei com o Padilha que vamos investir como nunca para garantir qualidade ao transporte público de São Paulo e não esse metrô que avança a passo de tartaruga”, pontuou a petista.

A candidata ã reeleição reforçou que pretende universalizar o acesso à educação infantil e creches por crianças de 4 e 5 anos. Em seu pronunciamento sobre educando, a presidente falou rapidamente sobre o erro do IBGE na divulgação dos dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domícilio (Pnad). “Mesmo com as alterações da Pnad, a taxa de escolarização de crianças de 4 a 5 anos atingiu 81,4% no ano passado, de 74,4% anteriormente”, disse a presidenciável do PT.