MERCADOS AO VIVO Taxa de desemprego no Brasil atinge recorde de 14,6% no 3º trimestre, diz IBGE

Taxa de desemprego no Brasil atinge recorde de 14,6% no 3º trimestre, diz IBGE

Dilma defende reformas econômicas e de instituições financeiras internacionais

Na Turquia, presidente brasileira diz que os dois países devem se unir para discussão de políticas contra desaquecimento global

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em visita oficial à Turquia nesta sexta-feira (7), a presidente Dilma Rousseff afirmou que os governos brasileiro e turco devem se unir na cúpula do G-20, em prol de reformas econômicas e de instituições financeiras no mundo, além de promover as relações comerciais entre os dois países.

Com o aumento de aversão ao risco e o receio de uma recessão global, Dilma criticou as políticas monetárias expansivas dos países desenvolvidos com a valorização artificial de suas moedas, prejudicando a competitividade das empresas brasileiras no exterior.

“Como países emergentes, somos afetados pelas políticas de reação dos países desenvolvidos à crise, notadamente à expansão monetária, praticada por alguns bancos centrais, que levam a uma espécie de guerra cambial. Isso compromete os valores das nossas mercadorias”, afirmou a presidente.

Aprenda a investir na bolsa

União na cúpula do G-20
Dilma disse que Brasil e Turquia devem se articular na reunião do G-20, que será realizada em novembro, em Cannes, na França, para a discussão de políticas para combater o desaquecimento da economia global.

“O Brasil e a Turquia podem contribuir no G20, por exemplo, para o prosseguimento das reformas nas instituições econômicas e financeiras internacionais, aumentando a participação de nossos países nas decisões que afetam diretamente os nossos povos.”

Relações comerciais entre os dois países
No fórum realizado para promoção das relações comerciais bilaterais, Dilma lembrou que, na última década, o comércio entre os dois países triplicou, com um avanço de 60% entre 2009 e 2010. A expectativa é que esse comércio ultrapasse a marca de US$ 2 bilhões neste ano.

Em maio de 2010, Brasil e Turquia adotaram o Plano de Ação para Parceria Estratégica, com iniciativas nas áreas de defesa, energia, agrícola, cultural, além de ciência e tecnologia. O governo turco ainda anunciou uma missão de empresários da construção civil ao Brasil para o próximo mês e a presidente brasileira os convidou para participarem das obras de infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014.