Em NY

Dilma critica ministros do STF que refutaram tese de golpe: “não deveriam opinar”

Sem citar nomes, a presidente reprovou a fala dos ministros Celso de Mello, Gilmar Mendes e José Antônio Dias Toffoli, aponta a Folha

SÃO PAULO – Em Nova York (EUA), a presidente Dilma Rousseff criticou as declarações de três ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) por terem se manifestado contra a tese de “golpe” difundida por ela e por simpatizantes contrários ao processo de impeachment. As informações são da Folha de S. Paulo.

Sem citar nomes, a presidente reprovou a fala dos ministros Celso de Mello, Gilmar Mendes e José Antônio Dias Toffoli. Ao ser questionada pela Folha ao  fim de uma entrevista coletiva na residência do embaixador do Brasil na ONU, Antonio Patriota, sobre o tema, ela respondeu que “não é a opinião do Supremo”.

“É a opinião de três ministros. São apenas três ministros, e são ministros que não deveriam dar opinião porque vão me julgar”, disse.

PUBLICIDADE

Na quinta, os ministros rebateram a tese do “golpe”. Para Celso de Mello, Dilma comete “gravíssimo equívoco” ao dizer que há “golpe de Estado” em curso no país.

Ontem, em entrevista a jornalistas estrangeiros, Dilma disse que poderá alegar a cláusula democrática do Mercosul se entender que houve uma quebra da ordem democrática no Brasil e lembrou o caso da destituição do ex-presidente paraguaio Fernando Lugo, quando a invocação dessa cláusula levou à suspensão do Paraguai do Mercosul.

“Eu alegarei a cláusula inexoravelmente… de fato (se houver) a partir de agora uma ruptura do que eu considero processo democrático”, disse a presidente aos jornalistas, acrescentando se isso depende de fatores que ela não pode controlar.

(Com Reuters)

Especiais InfoMoney:

Carteira InfoMoney rende 17% no 1º trimestre; CLIQUE AQUI e baixe!

Trader que perdeu R$ 285.000 com Telebras conta como deu a volta por cima

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa