Segundo Folha

Dilma busca reaproximação com Lula, mas eles pouco conversam em festa do ex-presidente

Lula e Dilma dividiram uma mesa de seis lugares montada em uma sala interna do Instituto Lula, mas ele se dirigiu poucas vezes à sucessora

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Ontem, a presidente Dilma Rousseff participou da comemoração do aniversário de 70 anos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A festa ocorreu em uma casa vizinha ao Instituto Lula, no Bairro do Ipiranga, na capital paulista. Ela chegou às 20h (horário de Brasília), acompanhada pelo ministro da Casa Civil, Jaques Wagner. Dilma foi embora às 21h15 e não falou com a imprensa.

A propósito do aniversário de Lula, Dilma telefonou para ele mais cedo, gravou uma mensagem para as redes sociais saudando a amizade entre os dois e deslocou-se de Brasília a São Paulo para participar dos festejos, evento registrado com fotos de largos sorrisos.

Segundo informa a Folha de S. Paulo, contudo, diante de uma relação que ganha cada vez mais contornos de distanciamento e insatisfação, eles pouco conversaram. Lula e Dilma dividiram uma mesa de seis lugares montada em uma sala interna do Instituto Lula, onde aconteceu o evento e, segundo relatos de participantes, o ex-presidente estava bem-humorado, cumprimentou Dilma, e optou por falar de assuntos amenos. Ele se dirigiu poucas vezes à sucessora, mas nenhuma delas para falar de política.

Aprenda a investir na bolsa

 Dilma está desde segunda, depois da ação da Polícia Federal no escritório de um dos filhos de Lula, tendo de dedicar especiais cuidados ao ex-presidente e mentor. Lula ficou profundamente magoado com Dilma por causa do episódio e, segundo informações dos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo, o ex-presidente havia responsabilizado a presidente. Ele teria dito que estava cada vez mais convencido de que Dilma permite investigações contra ele para se preservar.

Segundo o Estadão, depois, mais calmo, o ex-presidente negou ter responsabilizado Dilma pela operação policial. Mas, em bastidores, em conversa com amigos, Lula tem reclamado da sucessora e apontado erros na condução da política e da economia, queixando-se por não ser ouvido. 

Porém, a presidente continua tentando se reaproximar de Lula. Na tentativa de mostrar que a relação com ele não está abalada, Dilma cogita aparecer novamente ao lado de Lula, desta vez na reunião do Diretório Nacional do PT, em Brasília. Contudo, os atritos devem continuar, principalmente pelo fato de Lula “não perdoar” o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e Dilma reiterar que o ministro fica. 

Outros participantes do aniversário
O presidente do Partido dos Trabalhadores de São Paulo, Emídio de Souza, que esteve no Instituto mais cedo para parebenizar o ex-presidente, deixou o local às 17h30 de ontem. Segundo ele, Lula estava muito feliz.

Presidente nacional do PT, Rui Falcão chegou ao local da comemoração às 17h45, mas não falou com a imprensa. A mulher do ex-presidente, Marisa Letícia, a filha Lurian, além de Marco Aurelio Garcia, Paulo Fiorilo e o prefeito Fernando Haddad também participam das comemorações.

Ao sair da festa, pouco depois da presidente, Rui Falcão disse que “foi um evento de carinho, de festa, de amizade, esse foi o significado da vinda dela [Dilma] aqui”. Segundo ele, a relação entre Dilma e Lula estava boa “como sempre foi”. Ontem a Folha de S.Paulo divulgou que o ex-presidente teria responsabilizado Dilma pelos desdobramentos da Operação Zelotes, que envolveria seu filho Luis Cláudio Lula da Silva.

PUBLICIDADE

Sobre o pedido de impeachment, Rui Falcão acredita que não há fundamentos. ” É uma tentativa desesperada da oposição conservadora de encurtar o mandato da presidenta. Aqueles que não souberam ganhar, agora também não sabem perder”, disse.

O presidente do PT afirmou que o importante, neste momento, é o país voltar a crescer, aprovar a Contribuição sobre Movimentação Financeira (CPMF), o Orçamento, o repatriamento de recursos. “Para o país crescer, para a economia funcionar melhor do que já está, não pode criar crise artificial. A oposição precisa parar de torcer pelo ‘quanto pior, melhor'”, acrescentou.

Dilma completa 1 ano de mandato: como foi o desempenho de Bolsa dólar e mais 36 ativos? Deixe o email abaixo e confira: