Eleições 2014

Dilma “alfineta” Marina após debate e diz que homofobia deve ser criminalizada

Canditata soltou indireta para Marina Silva e afirmou que não se deve mudar de proposta, principalmente quando se refere à direitos das pessoas

SÃO PAULO – Após o debate entre os presidenciáveis, realizado pelo SBT, a candidata do PT, Dilma Rousseff falou com jornalistas e aproveitou para exaltar seu governo, além de soltar indiretas para Marina Silva sobre o fato da candidata do PSB ter mudado seu plano de governo e também sobre a questão da homofobia.

“Acho que vou adotar essa sugestão feita, eu acho que pelo Eduardo Jorge, vou continuar com o debate na internet”, disse Dilma ao se referir sobre o que o candidato do PV irá realizar após os programas eleitorais. Segundo Jorge, às terças, quintas e sábados, após o horário eleitoral, ele irá continuar a expor suas propostas para os internautas em seu site oficial.

“Não se governa um país com promessas e compromissos. Governa um país explicando propostas, projetos e programas”, afirmou Dilma. “E aí você é obrigado a dizer aonde, qual é a cobertura da sua proposta. Muitas vezes a cobertura da proposta é inviável. Se eu vou restringir gasto e vou gastar em programas sociais há uma contradição em termos”, completou.

PUBLICIDADE

A petista aproveitou para alfinetar Marina sobre a errata de seu plano de governo. “Olha, eu acho que não se deve mudar a proposta principalmente quando se referia a direitos”, afirmou. A candidata também respondeu à perguntas sobre a homofobia e direitos dos homossexuais. “Eu pessoalmente e como política e governante, eu sou contra qualquer forma de violência contra pessoas. Agora, no caso específico da questão da violência, da homofobia, eu acho que é uma ofensa ao Brasil, porque o Brasil é uma sociedade que sempre foi tolerante com a diferença”, afirmou a candidata.

“Então eu fico muito triste de ver que nós temos hoje grandes índices de violência atingindo essa população, principalmente quando se trata de homossexuais, mas também em todas as outras áreas. Acho que a gente tem criminalizar a homofobia. O que eu estou dizendo é que se deve criminalizar a homofobia. A homofobia não é algo que a gente possa conviver”, completou.