Dilma acredita que crise poderá durar mais tempo do que se imagina

Por outro lado, presidente mostra-se confiante e afirma que as consequências não serão como em 2008

SÃO PAULO – A presidente Dilma Rousseff admitiu nesta quarta-feira (24) que a crise mundial pode durar mais tempo do que se espera, mas que não acredita que produzirá “catástrofes”, como as que ocorreram em 2008, como a quebra de bancos de investimentos.

“A crise vai ser isso que estamos vendo: um dia está pior, outro dia está melhor”, disse Dilma, após a cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado.

“É uma crise profunda do sistema financeiro dos países desenvolvidos, é uma crise de confiança, ela pode durar mais tempo do que se espera”, afirmou a presidente.

PUBLICIDADE

Pequenas e Médias
Nessa toada de incentivo aos pequenos e médios empresários, o governo aguarda a aprovação do Congresso Nacional para criar um ministério para as micros e pequenas empresas. Enquanto isso, o programa será gerido pelas pastas do Trabalho e do Desenvolvimento Social.

A presidenta Dilma disse, ainda na véspera, que pretende reavaliar, ao final de 2013, as metas estabelecidas pelo programa, para baixar a taxa de juros e aumentar a faixa dos beneficiados.

O projeto lançado nesta quarta fornecerá crédito com juros de 8% ao ano para microempreendedores individuais e microempresas com faturamento anual até R$ 120 mil. Até o final de 2013, o governo pretende atender a 3,4 milhões de clientes.