Despedindo-se do BC, Meirelles exalta estabilidade macroeconômica

Em meio ao final de seu mandato à frente do Banco Central, Meirelles exalta estabilidade e demonstra confiança em Tombini

SÃO PAULO – “Sem estabilidade, não é possível crescimento sustentável, a estabilidade permite o alargamento do investimento”, afirmou o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, em evento na manhã desta segunda-feira (29) em São Paulo.

Meirelles avaliou, em tom de despedida, que o Brasil hoje se encontra em um novo patamar no cenário mundial em função da contenção da inflação dentro das metas, política fiscal responsável e aperfeiçoamento do regime de câmbio, e ainda comentou os planos de ajuste de países europeus. “Nós vamos ver que esses ajustes no Brasil foram historicamente bastante importantes e substanciais”.

Para ele, o desenvolvimento do País foi possível muito em função da confiança que diversos setores tiveram na atuação da entidade, viabilizando a segurança para os investidores.

PUBLICIDADE

O chefe da autoridade monetária do País ainda demonstrou satisfação com a escolha de Alexandre Tombini para substituí-lo. “Fiquei feliz com a escolha de Alexandre Tombini. Foi a pessoa que achava mais preparada.”, afirmou, completando que o futuro presidente do BaCen “tem sido e foi o meu candidato para presidir o BC na minha saída”.

Saída foi decidida em janeiro
Por fim, Henrique Meirelles ainda refutou os rumores de que havia exigido autonomia para continuar à frente do Banco Central, como, segundo ventilado pelo mercado, teria pedido o presidente Lula ao próximo governo.

“Não anunciei antes para não gerar mais incertezas num cenário global turbulento e num cenário doméstico afetado pela crise”, afirmando ainda que já havia decido deixar a pasta desde o início do ano.