Desde a eleição de outubro, 22 parlamentares trocaram de partido

A maioria dos políticos passou para a base aliada do governo; o partido mais procurado foi o recém criado PR

SÃO PAULO – Desde o dia das eleições, em outubro do ano passado, até esta segunda-feira, 20 deputados e dois senadores já mudaram de partido, mas esse número ainda deve mudar.

No senado, o caso mais comentado foi do ex-presidente e agora senador Fernando Collor de Melo, que foi eleito pelo PRTB mas filiou-se na última sexta-feira ao PTB, partido do deputado cassado Roberto Jefferson.

Mais e menos procurados

Desses parlamentares, a maioria passou para a base aliada do governo. O partido que mais perdeu políticos foi o PPS, com seis abandonos, seguido pelo PFL, com três e pelo PSDB, com duas.

PUBLICIDADE

Já a legenda mais procurada foi o PR, formado neste ano por uma fusão entre o Prona e o PL, que ganhou mais 11 parlamentares, somando um total de 37. O partido ainda conta com a vice-presidência da Câmara.

Mudança nas regras

Neste ano, a possibilidade de formar blocos políticos para ocupar as vagas da Mesa Diretora da Câmara ainda diminuiu a quantidade de trocas. Na última legislatura, entre as eleições e a posse, 37 deputados mudaram de partido.