Milagre?

Descontente com conselheiros ortodoxos demais, Maduro se volta a “Jesus Cristo marxista”

Presidente da Venezuela segue conselhos de professor espanhol que defende que a inflação é consequência da luta de classes

SÃO PAULO – Em meio a uma forte recessão, índices assustadores de inflação e uma escassez de produtos básicos, o presidente venezuelano Nicolás Maduro tem ouvido cada vez mais um professor marxista espanhol apelidado por ele mesmo de “Jesus Cristo da economia”. Alfredo Serrano, o dono da alcunha, tem 40 anos e barba e cabelos cumpridos que contribuem para a comparação feita pelo líder da Venezuela. 

Segundo informações do Wall Street Journal, Serrano passou a ganhar espaço dentro do governo de Maduro após os outros conselheiros do venezuelano começarem a sugerir medidas mais “ortodoxas” para combater os problemas econômicos do país, como relaxar os controles cambiais. O professor espanhol, por sua vez, agradou a Maduro ao defender um controle estatal ainda maior sobre a indústria e a oferta de alimentos para tirar o país da crise. 

“Todas as tentativas para reformar, coordenar com o setor privado, foram bloqueadas por ele”, diz um legislador veterano do partido governante.

PUBLICIDADE

De acordo com a reportagem do WSJ, o que chamou a atenção de Maduro para o professor espanhol foi o livro publicado por Serrano em 2014: “O pensamento econômico de Hugo Chávez”. Uma das teorias defendidas na obra é de que a inflação é causada pela luta de classes e que a burocracia estatal deveria ser substituída por comunas revolucionárias responsáveis por desde a assistência médica à produção de alimentos.

Neste ano, Maduro ordenou que conselhos comunitários e soldados distribuíssem alimentos básicos diretamente para as famílias, mostrando que seguiu os conselhos do seu “Jesus Cristo”.