Pesquisa da XP

Derrocada com Lula, incerteza com Huck: como o mercado reagiria em 5 cenários para as eleições de 2018

Pesquisa traçando 5 cenários foi realizada pela XP com investidores institucionais entre os dias 21 e 23 de novembro; para 46% dos entrevistados, Alckmin será eleito

SÃO PAULO – Nova pesquisa realizada pela XP Investimentos com 211 investidores institucionais entre os dias 21 e 23 de novembro apontou que o mercado espera pela eleição de um candidato pró-mercado e que deve dar continuidade à agenda reformista do governo Michel Temer. 

Para 46% dos respondentes o vencedor será o atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), enquanto o apresentador Luciano Huck surge como o segundo mais citado, com 19%. Já o deputado Jair Bolsonaro subiu de 3% para 17% dos citados pelo respondentes. O atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD) será o novo presidente na opinião de 8%, enquanto o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), tem 3% das menções, ante 42% da pesquisa anterior. O ex-presidente Lula (PT) é apontado por 2% dos respondentes, ante 6% do último levantamento, enquanto outros nomes foram apontados por 5%. 

Black Friday InfoMoney: sua única chance de comprar nossos cursos com 50% de desconto

PUBLICIDADE

Vale destacar que o questionamento é sobre quem “será” o vencedor, e não em quem “ele votará”, para identificar o cenário que os investidores julgam ser o mais provável. A pesquisa diverge bastante dos últimos levantamentos eleitorais, que mostram Lula na dianteira das intenções de voto. 

A outra parte da pesquisa com investidores institucionais contém simulações sobre os cenários para bolsa e dólar caso Lula, Bolsonaro, Alckmin, Huck e Doria. Os casos extremos aparecem com Lula (negativo para o mercado) e Doria (positivo para o mercado). 

Na simulação com Lula presidente, os investidores apontam um desfecho negativo para bolsa, com 95% indicando que o Ibovespa recuaria do patamar atual. “Chama a atenção o fato que 48% apontam uma queda para abaixo de 55 mil pontos, o que representaria cerca de 34% de queda do Ibovespa (considerando o patamar atual de 74 mil pontos)”, apontam os analistas da XP, Celson Plácido e Gustavo Cruz. Para mais de 90% o Ibovespa recuaria para baixo de 60 mil pontos, ou seja, investidores enxergam ao menos uma queda de 23% no índice. Apenas 2%  acreditam em uma alta do índice com Lula vencendo.

Já no cenário para dólar, 98% indicaram que o real cairia na comparação com o atual patamar de R$ 3,23. 36% acreditam que o dólar iria para R$ 4,10 – para 57% dos respondentes a moeda se desvalorizaria ao menos 20%.

Confira as projeções com Lula presidente: 

 

Na simulação com Jair Bolsonaro, os investidores seguem apontando um desfecho negativo para bolsa, mas com uma queda dos que apontam esse cenário. Em agosto, 88% indicavam que o Ibovespa recuaria do patamar atual e, agora, esse número corresponde a 73% dos respondentes. 30% acreditam que o Ibovespa recuaria para baixo de 60 mil pontos – ou uma queda de ao menos 23% no índice. A parcela que acredita em uma alta do índice com Bolsonaro vencendo subiu de 12% para 27%. Para o câmbio, 77% indicaram que a moeda brasileira se desvalorizaria, ante 89% na pesquisa de agosto, sendo que 9% indicam que a moeda se valorizaria.

Confira as projeções com Bolsonaro presidente:

 

No caso de Geraldo Alckmin presidente, a expectativa é de um desfecho positivo para a bolsa segundo 82% dos consultados. Para mais de 73%, o Ibovespa avançaria para cima de 80 mil pontos, sendo que 31% dos investidores enxergam ao menos uma alta de 22% no índice. Apenas 11% acreditam em uma queda do índice com o tucano vencendo. Para um cenário de dólar, novamente investidores se mostraram positivos e 38% indicaram que o real se valorizaria para um patamar abaixo de R$ 3,00, enquanto 10% indicam que iria para abaixo de R$ 2,80. Para 9% dos respondentes, a moeda cairia para R$ 3,50 ou acima disso. 

Confira as projeções com Alckmin presidente:

PUBLICIDADE

 

Com Luciano Huck, 62% dos entrevistados acreditam que a bolsa subirá, mas o quadro é menos definido. 27% acreditam que o Ibovespa cairia, sendo que 14% apontam que o índice recuaria abaixo de 60 mil pontos. Para um cenário de dólar, novamente investidores se mostraram divididos: 43% indicaram que o real se desvalorizaria, 25% que iria para um patamar abaixo de R$ 3,00, enquanto 32% indicam que permaneceria no patamar atual. 

Confira as projeções com Huck presidente:

 

No último cenário, com João Doria presidente, os investidores apontam o desfecho mais positivo para bolsa, com 87% indicando que o Ibovespa subiria do patamar atual. Para 45% o índice subiria para acima de 90 mil pontos, uma alta de 22% no índice. Apenas 6% acreditam em uma queda do índice com Doria vencendo.  Para o dólar, 54% indicaram que a moeda brasileira se valorizaria, indo para um valor abaixo de R$ 3,00, sendo que 22% indicam que iria para menos de R$ 2,80. Para 12% dos respondentes, contudo, a moeda se desvalorizaria para mais de R$ 3,30.

Confira as projeções com Doria presidente:

PUBLICIDADE