Segundo Folha

Depois de “Aécio dar trabalho”, executivos da OAS comemoraram vitória de Dilma em mensagens

Com a vitória de Dilma, um amigo do então executivo da OAS, Léo Pinheiro, fez piada: "mais do que nunca Super Ministro da Infraestrutura, Leozinho"

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, em mensagens obtidas por investigadores da Lava Jato, dirigentes da OAS torceram pela vitória da presidente Dilma Rousseff nas eleições de 2014. 

“Informação de dentro do TSE: Aécio 5% na frente”, escreve um dos executivos, às 19h24 daquele domingo. “FHC está falando em vitória de Aécio. Pode ser boato, mas…”

“Vamos ver”, diz Léo Pinheiro, então presidente da OAS, que responde depois: “Dilminha ganhou!!!!!”. E ainda ironizou amigos pela derrota de Aécio: “favor chorar aqui”. Depois, ele postou uma foto de Aécio vestindo a camisa do time baiano Vitória: “já tá acostumado a ser vice”. 

Aprenda a investir na bolsa

As dezenas de mensagens constam no inquérito que investiga a OAS na Lava Jato. Pinheiro, hoje, é réu sob acusação de corrupção em obras da Petrobras e está em prisão domicilar.

Em outra mensagem, Pinheiro parabeniza Jaques Wagner (PT), pela vitória de seu candidato ao governo da Bahia, Rui Costa (PT). Wagner agradece a ele quando o candidato ao governo, Rui Costa (PT), aparece à frente nas pesquisas: “já era. Você merece e contribuiu para isto”. Costa foi eleito. No dia seguinte, Pinheiro brinca com um colega e manda uma imagem de um eleitor numa urna. Acima, a inscrição: “Este voto é um oferecimento de…”, seguida de logo de financiadores de campanha – OAS entre eles. 

Pinheiro e seus colegas, relata o jornal, foram atentos espectadores do cenário político, monitorando pesquisas e tendo acesso a levantamentos exclusivos de partidos. 

No segundo turno, a preocupação é com a “Moça”. Pinheiro e colegas avaliavam que Aécio ia “dar trabalho”. 

Em 15 de outubro, Pinheiro escreve: “Dilma tem mais aderência e está captando mais lentamente o indeciso e branco. Haja coração”, escreve. Com a vitória de Dilma, um amigo do então executivo da OAS faz piada: “mais do que nunca Super Ministro da Infraestrutura, Leozinho”. Resposta: “rsrsrsrs”. 

Os executivos também fazem chacota com ACM Neto (DEM), prefeito de Salvador: “Grampinho [como é chamado]” é criticado por seu “desespero” ao não conseguir eleger Paulo Souto (DEM) governador. “Pergunto-lhe: o que teremos que fazer para fuder o Grampinho em 2016”, escreve um executivo. “Vai ser fácil. Ele será destruído por ele mesmo”, responde Pinheiro.

PUBLICIDADE