AO VIVO Sócio da Arko e analista da XP avaliam o último debate entre Trump e Biden antes da eleição nos EUA

Sócio da Arko e analista da XP avaliam o último debate entre Trump e Biden antes da eleição nos EUA

Democratas se mostra a favor de Medida Provisória dos bancos, mas quer limites

Segundo o deputado Rodrigo Maia, o atual texto não define cautelas e critérios mínimos para o emprego de recursos públicos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O partido Democratas (DEM) está colocando barreiras à Medida Provisória 443. Apesar de se mostrar a favor da MP, está condicionando a aprovação por parte de sua executiva nacional à incorporação de limites para impedir “abusos e arbitrariedades”.

De acordo com o deputado Rodrigo Maia, presidente nacional do DEM, o texto apresentado não define as cautelas e os critérios mínimos ao emprego de recursos públicos nas operações entre os bancos, sendo passível de distorções por parte dos envolvidos nas operações.

Para o partido, a aquisição de participações acionárias deve ser realizada diretamente pelo Tesouro Nacional, e não por instituições financeiras da União, como no caso especifico da Caixa Econômica Federal e também do Banco do Brasil.

Um preço justo pela operação

Aprenda a investir na bolsa

Também foi questionado o processo de autorização para a realização das operações definidas pela medida. Segundo o DEM, as operações devem apresentar critérios e requisitos para definir quais entidades estão sujeitas ao auxílio do governo.

Conforme exposto por Maia, deve ser também definido um prazo para os negócios. De forma que fique explicito a necessidade do governo, após a crise, alienar as ações adquiridas, mediante um preço justo e adequado.