Política

Demissão de Graça Foster da Petrobras não é necessária, diz Dilma

A presidente comentou ainda que não vê indicações de irregularidade na diretoria da Petrobras mas vai alterar o conselho da companhia, citando que quer mais participação dos bancos privados

SÃO PAULO – A demissão de Maria das Graças Foster, presidente da Petrobras (PETR3; PETR4), não é necessária, disse Dilma Rousseff nesta segunda-feira (22), conforme informou a Bloomberg. “Graça Foster é uma pessoa ética”. Dilma falou nesta manhã a jornalistas em café da manhã em Brasília. 

A presidente comentou ainda que não vê indicações de irregularidade na diretoria da Petrobras mas vai alterar o conselho da companhia, citando que quer mais participação dos bancos privados. Segundo ela, o governo está trabalhando para evitar redução da nota de crédito da estatal. “Não temos nenhuma indicação de falta de credibilidade Graça Foster”, disse.

Em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo, a ex-gerente da companhia Venina Velosa da Fonseca disse ter informado pessoalmente à presidente Graça Foster sobre as irregularidades em diversos contratos da companhia.

PUBLICIDADE

Entre as pessoas que foram informadas das irregularidades, além de Graça Foster, estão Paulo Roberto Costa, ex-diretor de abastecimento José Carlos Cosenza, o ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli e os gerentes executivos José Raimundo Brandão Pereira e Abilio Paulo Pinheiro Ramos. 

Ainda segundo Dilma, não irá demonizar indicações políticas para a Petrobras enquanto afirmou que a Petrobras vive hoje uma situação confortável comparada a outras do setor. Dilma disse também que não vai acabar com modelo de partilha nem conteúdo nacional.