DEM vai tentar recuperar mandatos dos “infiéis” que deixaram o partido

Partido vai ao TSE brigar por vagas de três deputados e três senadores que deixaram a legenda nos últimos meses

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O DEM vai ingressar até a próxima quarta-feira (7) no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com recursos para reaver os mandatos dos parlamentares que deixaram o partido nos últimos meses.

O partido vai brigar por vagas de três deputados e três senadores que deixaram a legenda, mesmo ciente de que os senadores saíram antes do prazo fixado pelo tribunal para que os partidos tenham de volta os mandatos dos “infiéis”.

Senadores protegidos

O DEM quer recuperar os mandatos dos senadores Romeu Tuma, Edison Lobão e César Borges. Todos deixaram o partido antes de 16 de outubro, quando começou a vigorar a resolução do TSE que determina que os mandatos pertencem aos partidos e não aos eleitos.

PUBLICIDADE

Apesar dos parlamentares não terem descumprido a norma legal, o estatuto do DEM prevê a perda de mandato aos senadores que deixarem o partido.

Deputados podem perder mandato

Na Câmara, o DEM vai tentar reconquistar os mandatos dos deputados Walter Brito Neto, Gervásio Silva e Jusmari Oliveira. Todos deixaram a legenda após 27 de março deste ano, data fixada pelo TSE como início da infidelidade partidária, o que abre uma brecha legal para que o partido reconquiste as vagas.