Em delação

Delcídio pede por mais 100 dias de afastamento do Senado

A licença apresentada hoje pede que o afastamento comece nesta sexta

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), apresentou nesta quarta-feira (4) um novo pedido para ficar afastado do Senado. Depois de começar a colaborar com a Polícia Federal em delação premiada sobre a Operação Lava Jato, o senador tirou cinco licenças médicas e até agora não retomou o mandato. Dessa vez, segundo informações da Folha de S. Paulo, Delcídio não alega mais “motivos de saúde”, mas “interesses particulares”.

A licença apresentada hoje pede que o afastamento comece nesta sexta-feira (6). Apesar disso, o senador pode ser cassado dependendo do resultado do seu julgamento na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Ontem, o Conselho de Ética do Senado aprovou relatório que recomenda a cassação de Delcídio. 

A presidente Dilma, segundo jornais, tem pressionado o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a pautar a votação da cassação para que Delcídio não participe da votação do impeachment no dia 11 de maio. O senador já disse que votará pela admissibilidade do processo. 

Aprenda a investir na bolsa