Lava Jato

Delatores da Lava Jato dizem ter patrocinado Stock Car para lavagem de dinheiro, informa Folha

O dinheiro, destaca o jornal, passava por Adir Assad, dono de uma empresa de marketing com atuação na Stock Car

SÃO PAULO – Delatores da Operação Lava Jato afirmam ter usado os contratos de patrocínio da Stock Car, principal categoria do automobilismo nacional, para lavar dinheiro que seria usado para pagar propina no esquema de corrupção da Petrobras, informa o jornal Folha de S. PauloO dinheiro, destaca o jornal, passava por Adir Assad, dono de uma empresa de marketing com atuação na Stock Car. Adir já fora condenado na Lava Jato, além de ter sido alvo de três operações da Polícia Federal em junho. Grandes empreiteiras estamparam durante um longo tempo suas marcas em automóveis da Stock, mesmo sem ter o costume de direcionarem verbas para a publicidade.

Segundo Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC e delator desde 2015, o dinheiro das propinas era superfaturado nos patrocínios ligados a empresa de Assad. O volume excedente pago à empresa era “devolvido” e usado para pagamentos ilegais de ex-diretores da estatal e políticos. “O valor combinado era entregue em espécie por algum emissário de Adir Assad”, explicou Pessoa em seu acordo de delação. Para comprovar o que contou, Pessoa apresentou uma série de notas fiscais e até um contrato de patrocínio firmado por meio da Rock Star. Ricardo Pernambuco, sócio da Carioca Engenharia, também delatou o esquema, apresentando um contrato de R$ 820 mil usado para patrocinar o piloto Murillo Macedo, que correu a categoria Stock Car Light.  Algumas somam referentes ao esquema somam valores de R$ 3,5 milhões. 

A Folha procurou a direção da Stock Car, que afirmou que as construtoras que são alvo da Lava Jato nunca patrocinaram institucionalmente a categoria, mas sim suas equipes privadas.

PUBLICIDADE