Operação Lava Jato

Delator diz a Moro que Aécio dividiu propina de Furnas com PT; tucano contesta

De acordo com Fernando Moura, o senador dividiria propina na energética Furnas com os diretórios nacional e paulista do PT, na cota de um terço para cada um

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o lobista Fernando Moura declarou que Furnas era uma estatal controlada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG). O indicado para a diretoria, Dimas Toledo, foi escolhido por ele e aceito pelo governo Lula em 2002.

De acordo com ele, o senador dividiria propina na energética Furnas com os diretórios nacional e paulista do PT, na cota de um terço para cada um. Moura é apontado como elo entre José Dirceu na área de serviços da Petrobras.

“Ele [Dirceu] me chamou e falou: ‘qual é a sua relação com o Dimas Toledo? ‘. Eu falei, estive com ele três vezes, achei ele competente, um cara profissional. Ele [Dirceu] falou ‘porque esse foi o único cargo que o Aécio pediu para o Lula. Então você vá lá conversar com o Dimas e diga para ele que a gente vai apoiar a indicação dele”, disse Moura. 

Aprenda a investir na bolsa

Moura disse que procurou Dimas Toledo e que o diretor teria afirmado que o esquema em Furnas de propina reproduzia o da Petrobras. “Dimas (…) me colocou da mesma forma que eu coloquei o caso da Petrobras, em Furnas era igual. Ele falou: ‘ó, vocês nem precisam aparecer aqui. Vocês vão ficar um terço em São Paulo, um terço nacional e um terço Aécio”.

O PSDB afirmou que “esta declaração requentada e absurda repete uma vez mais a velha tentativa de vincular o PSDB aos crimes cometidos no governo petista”, que Aécio não conhece o lobista e que ele “tomará todas as providências cabíveis para desmontar mais essa sórdida tentativa de ligar lideranças da oposição aos escândalos investigados pela Operação Lava-Jato”.

Leia também:

Carteira InfoMoney bateu Ibovespa em 8 pontos em janeiro; você já baixou?

Analista-chefe da XP diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa